Praia da Lagoinha – O que Fazer e Passeios – Ceará

Nessa matéria, vamos falar sobre essa que é considerada uma das praias mais bonitas do Ceará, a Praia da Lagoinha.

Para chegar em Lagoinha, o meio mais fácil é fechar um passeio bate-volta a partir de Fortaleza. Foi exatamente o que fizemos. Mas existem outras opções, e pode ser uma boa escolher uns dias para ficar na região. Isso porque o passeio de bate-volta acaba representando um conhecimento bem superficial da praia e da região, que é bem bonita.

Confira a seguir como é a praia da Lagoinha, o que fazer ao chegar lá e se vale a pena o passeio 3×1 oferecido por lá, que abrange um trecho em jardineira, outro em catamarã e o final é através de um buggy.

Não esqueça de deixar seu comentário no final do post. Dúvidas e comentários serão respondidos com prazer, sua participação é muito importante para o nosso trabalho.

Praia da Lagoinha e o Passeio 3×1

Diário de Viagem: Ceará – Dia 3

de 

As dunas alaranjadas da praia da Lagoinha

Passeio Bate Volta a partir de Fortaleza

Quem se hospeda em Fortaleza acaba procurando opções de passeio para fora da cidade, já que a única praia limpa da cidade é a praia do Futuro.

Uma dessas opções é visitar a praia da Lagoinha, que fica distante 104 km de Fortaleza, no litoral oeste do Ceará. O passeio custa R$ 35,00 e as saídas são às 8h da manhã. 

 

Fomos pela operadora Grand Tour, que organiza passeios para Cumbuco, Canoa Quebrada, Mundaú, entre outros destinos do litoral do Ceará.

Passeios em Grupo – Prós e Contras

Não sou muito fã desses passeios em grupo. Da última vez que estivemos no Ceará, demoramos cerca de 1 hora em uma van para conseguir sair de Fortaleza, porque o veículo parava de hotel em hotel para pegar todos os passageiros e muitos deles não estavam prontos, ou queriam fazer paradas para comprar água ou remédios ou sacar dinheiro durante o percurso. Além disso, durante todo o percurso tivemos que ficar escutando piadas, em um estilo de humor que não gostamos.

Só que tudo parece muito difícil para quem quer fazer as coisas por conta própria em Fortaleza. Os funcionários dos quiosques de informações turísticas são mal preparados e os horários de ônibus são impróprios para quem deseja fazer um bate e volta para as praias. Além disso, o acesso às praias do litoral oeste em geral é mais difícil do que para as praias do litoral leste.

Infraestrutura da barraca Manzari, nosso ponto de apoio em Lagoinha

Pelo menos dessa vez as coisas correram melhores durante o passeio. A guia Damara nos ligou no quarto do hotel logo cedo lembrando do horário do passeio, o que provavelmente fez com todos os passageiros, agilizando o embarque de todos.

A História da Lagoinha



Durante o percurso, ela também nos passou informações interessantes, como a diferença entre as praias do litoral leste e do litoral oeste do Ceará, e como a praia da Lagoinha virou um destino turístico.

A história da praia de Lagoinha é mais ou menos a mesma de outros destinos turísticos: estrangeiros visitaram o local e resolveram apostar no seu potencial turístico. Lógico que o interesse dos estrangeiros teve que ser conveniente aos interesses de uma família poderosa local, que até hoje mantêm o controle das barracas de praia e do comércio do local. 

Dessa forma, essa família mantém uma estrutura pequena e administrada por seus familiares. Esse modelo, embora monopolista, me pareceu bastante positivo para a praia, uma vez que ao contrário da ocupação desenfredada de Canoa Quebrada, o lugar permanece ainda com alguma estrutura mas nada muito exagerado e estragando a paisagem.

Como é a Estrutura na Praia

Chegando na praia de Lagoinha, depois de 2 horas de percurso, nos instalamos na barraca Manzari, onde é possível alugar um armário para guardar as coisas (R$ 5,00) e já encomendar o almoço.

O Passeio 3×1 em Lagoinha

A barraca também arranja um passeio local, que é um 3×1: parte em uma jardineira (que a guia chamou de pau-de-arara), parte em um catamarã e parte em um bugue. 

Explicado pela guia, tudo parecia mais interessante: o percurso inicial na jardineira mostraria um aspecto agreste da região e um pouco da vegetação nativa; o catamarã atravessaria a Lagoa da Almécegas e o passeio de bugue passaria por diversas fontes de águas que brotam por entre as dunas pela praia, por inúmeras lagoas (entre elas uma escolhida exclusivamente pelos jegues) e por um pequeno Cristo. O passeio saiu por 40 reais, por pessoa.

A realidade foi um pouco menos empolgante.

A jardineira, onde se inicia o passeio 3×1 em Lagoinha

Começamos com a Jardineira

O passeio começa com a jardineira (também chamada por alguns de pau de arara, mas já andei de pau de arara e é bem pior), com um guia adolescente falando algumas piadas sobre a precariedade do transporte e também dando informações sobre o trajeto, que passa por um paisagem típica do sertão, por algumas plantações de cocos (os cocos anões são os que dão os cocos mais doces e suculentos) e por casas de moradores da região.

Parada na Lagoa da Almécegas e Catamarã

Na segunda parte do passeio, depois de uma parada de 20 minutos na Lagoa da Almécegas (razoável, o que atrapalhou foi que estavam queimando alguma coisa e a fumaça vinha toda na direção da parte onde estávamos), partimos em um catamarã, atravessando a lagoa. Esse trajeto é curto, em águas tranquilas, também razoável.

Lagoa de Almécegas, primeira parada do passeio 3×1 em Lagoinha

Passeio de Buggy

A parte final é de bugue, que passa muito rápido por algumas atrações locais, como o Cristo (um cristo do tamanho de uma pessoa), as fontes de água que brotam na beira da praia e as lagoas (uma delas é onde os jegues se banham).

Algumas paisagens no percurso são bastante bonitas, mas achei o passeio feito com má vontade pelo bugueiro, de forma rápida e sem atentar para as possíveis atrações e belezas do circuito. 

Uma das várias lagoas da região, em uma parada rapidíssima do bugue, durante a última parte do passeio 3×1

Dessa forma, o trajeto, embora tenha esse diferencial dos três tipos de transporte e da paisagem que se modifica (sertão, lagoa, dunas), é mediano e dispensável. Mas tem um fator interessante por ser um dos únicos passeios do Ceará que não é feito exclusivamente de bugue.

Mirante da Praia da Lagoinha

Assim que voltamos para a barraca, caminhamos um pouco pelas ruas até um mirante, do qual se tem uma bela vista da praia e da duna e coqueiros. A ida até o mirante também fora prometida como parte do passeio de bugue, mas tivemos que fazê-la a pé.

A vista do mirante foi o ponto alto de nossa passagem pela praia da Lagoinha, a vista lá de cima é realmente linda e impressionante. 

Do lado esquerdo, toda a extensão da praia da Lagoinha, os coqueiros e o mar verde típico do Ceará
Do lado direito, os coqueiros e a duna alaranjada que são a imagem mais famosa da praia da Lagoinha

A praia de Lagoinha tem como grande diferencial uma duna dourada, no lado direito, onde alguns coqueiros, bem próximos do mar, formam uma paisagem única. 

Infelizmente, o lugar não é tão paradisíaco quanto nas fotografias, pois estar lá não é de fato uma experiência de estar numa praia linda e selvagem. No lado direito existe uma escadaria de concreto que passa por cima das dunas. A escadaria termina na praia, onde existem algumas barracas de praia, várias jangadas e um pouco de lixo e esgoto.

Almoço

Depois de algumas fotos naquela duna dourada que havíamos visto do mirante, voltamos para o nosso ponto de apoio e almoçamos (cerca de 60 reais, mais aluguel de armário para deixar as coisas, bebidas e águas de coco, a conta deu um total de 80 reais). Ficamos um pouco por lá, ou caminhando pela praia ou relaxando nas cadeiras. O mar estava bem bravio.

Embora estivesse marcado nosso retorno para às 16h, às 15h45 a guia  já havia apressado todos para ir embora. Mais cerca de 1h30 de trajeto e voltamos para Fortaleza.

Jangadas na praia da Lagoinha, bastante fotogênica

Conclusão

No geral, o passeio foi bem estruturado pela operadora Grand Tour, exceto pelo final, onde a guia se apressou para terminar o dia antes do horário planejado.

As informações prestadas pela guia Damara foram interessantes e as piadinhas sobre o linguajar cearense estavam presentes, mas foram pontuais.

O ponto de apoio também foi bem escolhido, a existência de armários, o atendimento dos garçons, o almoço servido e os preços, tudo foi satisfatório.

O passeio 3×1 é diferente dos demais passeios de bugue do litoral cearense, mas os bugueiros precisam ser melhor preparados para mostrar de fato as belezas do lugar, e não fazerem tudo correndo para terminar logo o circuito. 

Finalmente, a praia da Lagoinha possui uma beleza única, mas infelizmente uma parte dela não encontra-se tão bem preservada. O aspecto paradisíaco que você imagina através das fotos não está tão presente no local, mas a beleza é real e a praia é bastante fotogênica.

FICHA TÉCNICA:

Título: Praia da Lagoinha
Direção: Litoral Norte do Ceará/CE
Produção: Grand Tour
Roteiro: Praia da Lagoinha, Passeio de Jardineira, Lagoa da Almécegas, Passeio de Bugue
Elenco: Fábio Pastorello e Cleber Alcântara
Fotografia: Fábio Pastorello
O melhor: O mirante da praia da Lagoinha, onde se tem uma vista da praia de cima
O pior: O passeio de bugue, nem sempre os bugueiros levam os turistas a todos os destinos prometidos
Duração: 1 dia
Ano: 2012
País: Brasil
Gênero: PraiaNatureza
Avaliação: ★★★

© 2013 Fabio Pastorello. Todos os direitos reservados. A reprodução de textos e/ou imagens não é permitida sem prévia autorização do autor.

Veja também nossos outros posts do Ceará  

Ceará
share on:
Fabio Pastorello

Fabio Pastorello

Editor do Viagens Cine, fotógrafo e videomaker. Curte cinema e leva a vida e as viagens com toques de romance, drama e aventura. Formado em Letras, ex-bancário e muito mais feliz como blogueiro de viagens.

41 comentários

  1. Fabio parabéns por ser um pessoa sincera e falar o que realmente importa a sua opiniao sobre as praias o que realmente Ajuda muito para pessoas como eu que irei a fortaleza e estou na duvida de qual praia conhecer , gostaria de saber sua opinião qual praias realmente compensa ir na sua opinião ?

  2. Na Lagoinha tem uns bons bares, junto a natureza. É muito legal. Andar de quadriciclos nas dunas é muito bom.

  3. Irmão bom dia e possível ficar hospedado em lagoinha o lugar possui supermercados ou infraestrutura pra alimentação e vc sabe os valores hj em média de uma refeição. Ir em fortaleza pra descansar e ficar na capital não rola pretendo ir duas vezes, pra ficar e lagoinha e depois volto pra ficar em jeriquaquara

    1. Pow irmão, na cidade ainda não existe supermercado, somente mini mercado, pois se trata de uma cidade pequena e pacata, e o povo de lá dorme cedo, quando bate mais ou menos 1 hora à 1 e meia, não tem quase ninguém na rua, ideal para quem quer tranquilidade.
      E outra coisa, o banco mais próximo é mais ou menos há 12 ou 13 quilômetros, e outra coisa, tem um restaurante que fica em frente ao mirante que a comida é muito boa e o dono do estabelecimento é muito recíproco, muito gente boa.

  4. O cara que reclama do passeio em grupo, do preparo dos guia, do….. E do…… Cara vc pode morrer velho não pode viver em sociedade sendo tão chato assim!

    Povo bacana e fazemos muitas amizades por onde vamos, tudo é perfeito, qdo queremos beber e vamos em grupo, qdo queremos curti mais locamos um automóvel!

    Tem de saber viver e ser gente boa e educado que sempre se dá pra bem…. Se é chato… Nada vira!

    1. Concordo com tudo que vc falou!!!! Com um cara chato desse o passeio so pode ser terrível!!! Em cada parágrafo tem uma irônia… Muito mi mi mim ! Credo!

      1. Hahahaha Kátia. Mas ninguém é obrigado a gostar de tudo não, só porque está viajando. Infelizmente em alguns lugares há problemas, praias que não estão sendo preservadas, serviços que poderiam ser melhores e nosso dever é dar nossa opinião, de forma honesta e sincera. Eu achei outros lugares no Ceará incríveis, Lagoinha me decepcionou um pouco. Mas talvez seja questão do dia mesmo, espero voltar e ter uma opinião diferente. Mas e você, o que achou? Abraços.

  5. Oi, Nair. Obrigado pelo comentário. Todas as praias podem ser acessadas por conta própria, não há necessidade de ir por agências. Chegando em cada local, é possível fazer os passeios tranquilamente, bugueiros irão abordá-la, só é interessante antes de fechar qualquer passeio, pedir mais informações pois como na contratação de qualquer serviço, nem todos possuem a mesma qualidade. Abraço grande.

  6. Fabio, bom dia

    Queria saber se as prais de fortaleza (cumbuco, morro branco, lagoinha) pode ser acessada via carro proprio ou tem que ser por agencia mesmo?

    ps.: lindo blog… parabens..

    Grata
    Nair

  7. Ola Joaquim,
    Pode dar mais informação sobre Capim Açu? Busquei pela Internet e quase não tem informação e por azar a pouca que há falta sobre Capim Açu dé Fernando de Noronha.Agradeço desde já. Patrícia

  8. Oi, Marcela. Obrigado, também gostei muito da interação com o pessoal, surgiram ótimas contribuições. Sinceramente não sei te dizer, pois realmente não conheço, para falar a verdade nunca tinha ouvido falar de Paraipaba. Um destino que tem sido comentado é Flexeiras, talvez seja uma boa também. Abraços.

  9. Muito bom seu relato, Fábio. Melhor ainda a interação com os leitores, que trouxeram ótimas dicas. Em outubro meu marido e eu iremos ao Ceará participarmos de um evento relacionado à nossa profissão. Como já visitamos Fortaleza, Canoa Quebrada, Morro Branco, Cumbuco e Barra do Cauípe há dois anos, pensamos em conhecer outras praias próximas a capital – não há tempo de irmos à Jeri. Pesquisamos e chegamos à Lagoinha e agora ficamos sabendo de Campim-Açu. Bom, vocês não ficaram hospedados em Paraipaba mas acham válido? Ou mesmo teriam outro destino próximo a Fortaleza para indicar? Obrigada!

  10. Que legal João Alfredo, obrigado por compartilhar. Espero conhecer em breve essas praias que você citou. Felizmente não tive essa experiência que você citou em Canoa Quebrada, gostei bastante de ter ficado por lá. Abraço grande!

  11. Muito bom o resumo da praia. Apesar de morar em Fortaleza não conheço Lagoinha. Estarei em breve por lá!
    Outras praias bastante interessantes para você conhecer são as que ficam próximas à fronteira com o RN, Icapuí, Redonda, Requenguela etc. São praias pouco exploradas ainda e com uma estrutura razoável para o turista que quer praias mais desertas e fugir de pessoas oferecendo passeios e comida cara.
    Outras praias legais são Flexeiras, Guajiru e Mundaú. São praias bonitas e com uma boa estrutura.
    O cearense em si procura não frequentar praias muito exploradas por turistas, se tornam caras e pouco atrativas.
    Jericoacoara é uma exceção a regra e Canoa quebrada hoje só encontramos "gringos" atrás de drogas e garotas de programa, infelizmente.
    Obrigado pelo relato sobre Lagoinha!
    João Alfredo
    joaoceara@hotmail.com

  12. Olá Edson. Obrigado pela visita. Dentre os passeios que você citou, também fiz até Lagoinha e achei uma praia bem bonita, talvez valha a pena incluir no seu roteiro. De resto, você estará mostrando realmente alguns dos lugares mais bonitos do Ceará para sua família. Abraços.

  13. Olá Fábio, estive no inicio deste ano em Fortaleza e conheci algumas praias: Cumbuco, Jericoacoara, Canoa Quebrada, Morro Branco, Praia das Fontes e praia do Futuro. Gostei de todas.
    Retornarei ainda este ano para levar meu irmão e a esposa, na sua opinião, devo levá-los a estes mesmos passeios ou você indica outros melhores? pois não poderemos conhecer todos…
    Parabéns pelo site e obrigado.
    Edson – Uberaba

  14. Oi, Mayane. Tem sim. Dá uma olhada no comentário acima do Joaquim, que é de lá e conta como chegar lá por conta própria. A empresa é a Fretcar (www.fretcar.com.br). Abraços.

  15. A empresa Fretcar é o meio mais "confiável", uma vez que são cadeiras numeradas, ela disponibiliza os horários e preços Fortaleza/Paraipaba no seu próprio site (www.fretcar.com.br), compras só nos guichês da empresa, nas rodoviárias, e em alguns pontos pela cidade, também tem as populares "lotações", mas sinceramente não sei informar os preços destas.

    Espero que curta o passeio quando voltar, por Paraipaba sempre tem carros que dá pra combinar de levar e trazer de Lagoinha, Capim-Açú, Lagoa das Almecegas… Abraço.

  16. Olá, Joaquim. Tudo bem? Realmente, acho meio ruim essa advertência da guia, então resolvi excluir do post. Acabamos não fazendo por falta de tempo, não por insegurança. Mas espero poder voltar por conta própria e ir até a Praia do Capim-Açu. Aliás, aproveitando a oportunidade, você pode me dizer como faço para ir de Fortaleza até Lagoinha (ou Paraipaba) de ônibus e quais são os horários, para que não precisemos depender dos passeios da própria vez? Será de grande valia para quem acessar esse post e quiser visitar Capim-Açu e/ou Lagoinha. Abs.

  17. Sou de Paraipaba, cidade em que a praia é localizada, acredito que o despreparo de algumas pessoas não supere as belezas locais. Recomendo que conheça a Praia do Capim-Açu, localizada também em Paraipaba, esta é mais deserta pois ainda é pouco explorada, admiro que poste comentários de locais a conhecer como minha terra amada, mas a enfase quanto as piadas de cearense se faz um pouco desnecessária. Da próxima vez não ouça a sua guia e explore todos os lados, afinal o senhor não havia alugado um armário? Que insegurança isso lhe traria então? As imagens registradas no Cristo ficam ótimas nos álbuns de fotografia, quando voltar tente ir lá caminhando, nem é tão longe dos hotéis e restaurantes.

  18. Olá! Sou dessa cidade e concordo com vc. A praia precisa ser mais preservada!

    Parabéns pelas fotos e volte mais vezes.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.