Maresias com Sol – Litoral Norte de São Paulo

Confira nesse post algumas dicas de onde comer, o que fazer e onde ficamos em Maresias.

Parece incrível, né, mas já fui tantas vezes para Maresias, e em nenhuma delas me lembro de ter pegado sol efetivamente por lá. Desde a época da faculdade, quando viajei com um grupo de amigos da minha classe, até a última vez que fui para o litoral norte com o Cleber, Maresias sempre vivia na minha imagem como uma praia de tempo nublado e nuvens escuras no céu.

Fico feliz de ter mudado essa imagem em minha mente dessa vez.

E olha que todas as expectativas não eram as melhores. Janeiro é um mês que chove demais por lá. E nesse mês de janeiro de 2013, em particular, o tempo esteve particularmente nublado e chuvoso, até mesmo mais frio do que normal. Mas não é que conseguimos estar lá em Maresias, nos dois dias em que o sol brilhou bastante em Maresias.

Leia nosso relato atualizado. O que fazer em Maresias: Praias, Trilhas, Cachoeira e Rapel

Praia de Maresias com Sol

Diário de Viagem – São Sebastião

Maresias, uma das praias mais badaladas do litoral norte de São Paulo

Nossa viagem começou numa segunda-feira, 6h30 da manhã, na Rodoviária do Tietê.

Maresias de Ônibus

O ônibus da Viação Litorânea para Maresias sai da Rodoviária do Tietê em quatro horários diários. Na alta temporada os horários aumentam. O problema é que o ônibus é um pinga pinga danado.

O ônibus da Litorânea vai pela estrada Mogi Bertioga, depois passa por todas as praias de São Sebastião: desde Boracéia até Boiçucanga. Nesse trajeto, diversas paradas para embarque e desembarque de passageiros. Só fomos chegar próximo das 12h em Maresias. São mais de cinco horas de viagem, em trajeto que de carro seria muito mais rápido.


Exibir mapa ampliado

Após nos instalarmos no hotel, fomos almoçar em um dos restaurantes indicados pela recepção, o Terral.

Depois do almoço, tomamos café no Grão Expresso, no shopping Boulevard, de Maresias.

Maresias – Onde Comer

Testamos alguns restaurantes e opções de alimentação em Maresias. São eles.

  • Terral: Preços razoáveis, cuidado na hora de escolher os pratos pois alguns são um pouco oleosos, mas o ambiente é bem diferente e bem decorado.
  • Os Alemão: Boa estrutura de praia, cadeiras, bom atendimento e preços acessíveis, mesmo na alta temporada.
  • Subway: Opção para um lanche rápido e econômico
  • Padaria Elite: Opção também para lanches e salgados
  • Badauê: Restaurante um pouco mais caro de frente para o mar, a comida é ótima
  • A Firma: Pizzaria com ambiente gostoso, bom atendimento e saborosas pizzas.
  • Restaurante da Tia: Comida caseira por quilo, boa e barata.
  • Rochinha Sorvetes: Tradicional sorvete do litoral norte, antes era somente em picolés, agora tem também em massas e por quilo.

Barraca de Praia

Na praia, com o sol brilhando e forte, nos instalamos na ótima barraca Os Alemão, boa estrutura de cadeiras, bom atendimento e preços acessíveis. Além de tudo, o mar de Maresias estava surpreendentemente calmo, uma delícia.

Os guarda-sóis amarelos da barraca “Os Alemão”, em Maresias
Mar calmo na praia de Maresias, não obstante as placas de perigo

À tarde voltamos e curtimos um pouco de piscina (não é ótimo curtir uma piscina depois da praia?) e depois fomos lanchar no recém-aberto Subway.

No bar Summerville, Luguins tomou um chope enquanto eu aproveitava a conexão wi-fi do lugar para utilizar a internet no celular.

O entardecer foi ótimo, acompanhamos desde a foz do rio Maresias até a Praça do Surf, tirando várias fotos.

Pôr-do-sol no primeiro dia em Maresias, nada de chuva de fim de tarde

Noite em Maresias

Mais tarde, passeamos pelo centrinho de Maresias, que tem mais lojas do que eu lembrava. No “shopping”, tem Bob’s, várias lojas de moda praia, Chilli Beans, entre outros.

Na padaria Elite, comemos alguns salgados, na faixa de R$ 5,00 cada. Gostosos, mas um pouco caros. Mas como não estávamos afim de jantar, foi essa a melhor saída.

Mais sol e Badauê

No dia seguinte, mais sol e optamos por uma barraca diferente, dessa vez apenas um carrinho de praia com cadeiras de praia. No Os Alemão era melhor, mas é preciso variar. Novamente, banho de par impecável.

Depois, fomos almoçar no Badauê. Os preços são um pouco mais caros, mas o ambiente é gostoso, mesa de frente para o mar, com toda a praia aos nossos pés.

Restaurante Badauê, preços salgados mas ambiente agradável com vista privilegiada para a praia
Na praia, guarda-sóis pretos, que esquentam bastante quem fica embaixo deles

O atendimento não estava tão bom, demoramos bastante tempo para sermos atendidos, mesmo com o lugar cheio de garçons, nenhum deles vinha nos atender. Afinal, conseguimos fazer o pedido e solicitamos Galeto Caiçara, que estava uma delícia.

Eu ainda ousei uma sobremesa, um Petit Gateau de doce de leite, que estava gostoso.

Depois do almoço, voltamos para o hotel pois o sol estava muito forte, praticamente escaldante. Os guarda-sóis do Badauê são pretos e parece que embaixo deles ficava ainda mais quente.

O mar de Maresias

Na piscina do hotel, o céu nublou e escureceu completamente e a Maresias que eu estava acostumado reapareceu. Muita chuva.

Chuva em Maresias, voltamos ao lugar comum

Já a noite, saímos para jantar na pizzaria A Firma, com pizza ótima (massa crocante e fininha), cerca de R$ 45,00 a pizza grande. De sobremesa, tomamos um delicioso sorvete no Rochinha, em estilo por quilo, com tudo o que eu tem direito. O quilo do sorvete é caro, então apesar de delicioso, achei melhor não abusar. A noite encerrou com mais um café no Grão Expresso.

Chuva e retorno para São Paulo

No dia seguinte, amanheceu nublado e a previsão era de chuva, por isso resolvemos ir embora (eu também tinha problemas familiares).

Fomos até Boiçucanga para comprar as passagens. Luguins ainda cogitou irmos de táxi, mas na pousada nos informaram que seria mais caro do que o normal. O ônibus da Ecovias demorou um bocado, seja para passar, seja para chegar em Boiçucanga, mas 1 hora depois estávamos por lá.

Na alta temporada, a compra de passagem  com antecedência era necessária, já que o ônibus já estava quase lotado.

Na volta, mais um pouco de piscina e depois saímos para almoçar no Restaurante da Tia, comida boa e barata.

Às 15h30 estávamos no ponto aguardando nosso ônibus, que atrasou cerca de 30 minutos e ainda fez uma parada em Boiçucanga, onde tivemos que trocar de ônibus. Mas o restante da viagem, apesar de debaixo de chuva, foi super rápido, e chegamos às 19h30 em São Paulo.

Apesar de curta, a viagem valeu muito à pena, pois eu finalmente consegui mudar a imagem de Maresias em minha cabeça. Nada como guardar lembranças de um lugar, em dias ensolarados.

Praia de Maresias, no litoral norte de São Paulo

 

share on:
Fabio Pastorello

Fabio Pastorello

Editor do Viagens Cine, fotógrafo e videomaker. Curte cinema e leva a vida e as viagens com toques de romance, drama e aventura. Formado em Letras, ex-bancário e muito mais feliz como blogueiro de viagens.

1 comentário

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.