Review: Onde Ficar em Buenos Aires – Centro ou Recoleta

Onde ficar em Buenos Aires?

Durante nossa última estadia por lá, resolvemos testar duas opções de hotéis, uma no centro da cidade e outra na Recoleta.

O centro de Buenos Aires tem perdido espaço em virtude de questões de segurança ou de não ser uma zona tão agradável para se caminhar.

A Recoleta, por outro lado, vem ganhando mais hóspedes como um dos bairros mais charmosos e agradáveis escolhidos pelos turistas. Mas afinal, é melhor mesmo ficar na Recoleta ao invés de se hospedar no centro?

Onde Ficar em Buenos Aires: Centro ou Recoleta?

Review: Hotel Panamericano Buenos Aires e Art Hotel

Espaço interno do hotel, piso de mármore, lustres e decoração impressionam

Para escolher nossa hospedagem no centro, procurei um hotel sofisticado, mas com boa relação custo-benefício. Nossa intenção era passar um fim de semana de luxo em Buenos Aires em uma hospedagem cinematográfica.

Para tanto, encontrei no Booking.com o Hotel Panamericano (clique aqui para verificar disponibilidade e tarifas), que pelas fotos parecia ser bem interessante. As coisas que mais me encantaram durante a pesquisa foram a área da piscina e a bela vista para a Avenida Nove de Julho.

Reservamos 2 noites por US$ 457,00, em suíte com vista para a avenida (as tarifas são maiores para esse tipo de apartamento). No fim de semana, as tarifas em hotéis no centro tendem a ser menores, já que muitas dessas hospedagens são para executivos ou pessoas em atividades comerciais na região. Não era nosso objetivo ficar no fim de semana no centro, mas pela diferença de preço, acabamos achando vantajoso. 

As opções para o fim de semana incluem pacotes de 3 noites com uma diária grátis ou de 2 noites com a segunda diária com 50% de desconto.

Hotel Panamericano – Centro de Buenos Aires

Chegamos em Buenos Aires pelo Aeroparque e fomos de táxi até o hotel. Não me lembro exatamente o valor da corrida, mas não foi muito caro. Logo na chegada, já ficamos impressionados com o saguão e as áreas comuns do hotel.

Saguão do Hotel Panamericano, hospedagem em grande estilo em Buenos Aires

Os funcionários foram bem simpáticos e eficientes. Logo na chegada, um funcionário se encarregou de nossas bagagens e o atendente na recepção realizou os procedimentos de check-in. Ele também nos apresentou algumas informações sobre o que fazer em Buenos Aires, mas de forma tranquila, conforme nossa demanda.

Achei legal ele mencionar os diferentes estilos de tango, por exemplo, salas maiores em que você fica mais distante dos dançarinos mas contam com melhor estrutura, ou casas menores e mais intimistas, que aumentam a experiência do tango. De qualquer forma achamos melhor escolher posteriormente, já que eu já tinha uma casa de shows em mente.

Belos corredores internos do Panamericano

Prefira os quartos com vista

Logo que chegamos no quarto, achamos muito legal a vista do apartamento, que embora fosse em um andar baixo, ainda assim oferece vista muito legal para a Avenida 9 de Julho: do nosso quarto podíamos ver o Obelisco e o Teatro Cólon.

Aliás, fica aqui a dica: cuidado na hora de escolher o quarto, pois existem alguns preços que não incluem o café da manhã ou o acesso ao 23o. andar, que é uma das melhores coisas do hotel. Pense bem se a economia entre uma diária e outra não vale os benefícios que você terá em um pacote mais abrangente. 

Vista para a Avenida Nove de Julho, da janela de nossa suíte

Entre as comodidades do hotel, estão o piso de madeira, uma ampla sala de estar com sofá e duas poltronas, escrivaninha, ar condicionado, e um banheiro com duas áreas, uma delas com banheira e outra com chuveiro. Ou seja, ótimo para ninguém ficar esperando o outro tomar banho. Também achamos engraçado o espelho do banheiro que funcionava como uma espécie de monitor, onde era possível ver a previsão do tempo; só não deixaram o controle remoto para operar.

Enfim, gostamos muito do espaço do quarto e das comodidades, exatamente a experiência de luxo que estávamos procurando em Buenos Aires.

Parte da nossa suíte no Hotel Panamericano

A localização no centro é segura?

Chegamos à noite e estávamos com fome, saímos para comer algumas empanadas num restaurante próximo. Como você está na Avenida 9 de Julho, não é nada difícil encontrar restaurantes ou lojas de conveniência nas redondezas.

Apesar da região não ser muito limpa ou sofisticada, não presenciamos muitos problemas de segurança, mas já lemos vários relatos de outros turistas sobre roubos ocorridos na região, então é melhor ficar atento. Principalmente à noite, quando a região fica mais deserta, o cuidado deve ser redobrado.


Exibir mapa ampliado

Em relação à localização, vale mencionar que o centro é a melhor opção para visitar a maior parte das atrações de Buenos Aires. Você estará muito perto do Teatro Cólon, do Obelisco, da Rua Florida e das Galerias Pacífico e até mesmo do Puerto Madero, a uma caminhada de cerca de 20 minutos a partir da 9 de Julho. Portanto, se você prioriza a praticidade, estar no centro é uma boa opção. 

Começando o dia no Panamericano

Estávamos curiosos para conferir a vista do terraço do Panamericano e logo cedo, antes mesmo do café da manhã, fomos até o 23o. andar onde fica a piscina e o spa. Toda a área é fechada e climatizada, mas existe uma opção de sair para a área externa e conferir a vista, que não é pouca coisa. O duro é a temperatura. Viajamos em junho e do lado de fora, a temperatura estava por volta de 10 graus.

Essa vista para a Avenida Nove de Julho ao amanhecer só mesmo quem fica hospedado por aqui
Incrível nascer do sol por entre os prédios do centro de Buenos Aires

O café da manhã é bem variado e oferece opções de pães, doces, frutas e sucos, mas não achamos os itens muito saborosos. Mas de qualquer forma são bem servidos e com boa apresentação e variedade. Colabora também o ambiente do restaurante, o La Luciérnaga, que tem um piano de cauda, uma bela pintura que cobre toda uma parede do salão e boa decoração.

Café da manhã no Panamericano, boa variedade de itens em ótimo ambiente

O café da manhã acabou pesando, mas mesmo assim era nosso único dia inteiro para aproveitar o hotel, então fomos para o 23o. andar curtir a piscina.

Variações de temperatura no 23o. andar

O espaço localizado no 23o. andar do prédio é incrível tanto na arquitetura, com teto de vidro que permite uma interação total com a área externa, como pelas condições de conservação. Tanto a piscina, como a academia e os vestiários estão em ótimas condições. Aliás, para mim o estado de conservação da academia é em geral um bom termômetro para saber se um hotel é bom ou ruim. Já ficamos em alguns hotéis que afirmavam ter academia mas as condições dos equipamentos eram precárias.

Apesar dos equipamentos de ginástica estarem em boas condições, a dica mesmo é pegar uma espreguiçadeira e ficar curtindo o espaço ou a vista maravilhosa para o centro de Buenos Aires.

Cenário cinematográfico na cobertura do Hotel Panamericano
A ótima área da piscina no 23o. andar

O contraste entre a temperatura na área climatizada e a área externa, principalmente no inverno, é grande. Basta atravessar uma porta e você estará na área externa da cobertura, com vista para a Avenida Nove de Julho. De tanto sair e entrar, em determinado momento até me deu um pouco de dor de cabeça, mas certamente valia a pena.

Do lado de dentro, o lance é relaxar nas espreguiçadeiras com o visual de Buenos Aires ao fundo
Do lado de fora, é bom se agasalhar para as temperaturas mais rigorosas, especialmente no inverno

Nem preciso dizer que o pôr do sol lá de cima é um espetáculo, e muitos hóspedes sobem para conferir a vista. Pena que só tivemos uma tarde para curti-lo, mas com certeza valeu a pena.

Vista do Hotel Panamericano para a famosa Avenida Nove de Julho

Art Hotel – Recoleta

Depois de curtir o luxo do Panamericano Hotel, foi a hora de mudar de hospedagem para o agradável bairro de Recoleta, aliás um dos bairros mais gostosos para circular em Buenos Aires. Escolhemos o Art Hotel – consulte as opções de tarifa e disponibilidade clicando aqui. No TripAdvisor e no Booking.com, o nome do hotel está como A Hotel.

A Recoleta é com certeza um bairro mais sofisticado do que o centro, ainda assim nossa intenção era buscar uma opção de hospedagem mais barata por lá. Encontramos o Art Hotel por US$ 158,00 (2 diárias), em localização próxima ao metrô e da Avenida Santa Fé, uma das avenidas mais importantes de Buenos Aires. Os relatos eram de quartos pequenos, porém bem decorados e resolvemos conferir. 


Exibir mapa ampliado

Realmente os quartos e banheiros eram pequenos, mas a decoração era charmosa e os pequenos espaços bem aproveitados. Aliás, toda a decoração do hotel era bem interessante, na entrada encontramos uma exposição de arte e os ambientes realmente tinham essa inspiração artística que o nome do hotel poderia supor.

Quarto pequeno mas bem decorado no Art Hotel
O pé direito alto e a iluminação das janelas externas criam um ambiente que disfarça a pequena área dos quartos
Áreas comuns do Art Hotel, com exposição de quadros, estantes de livros e esculturas

A transição da hospedagem luxuosa do Panamericano para as instalações mais modestas do Art Hotel foi suavizada pela boa decoração e localização do hotel.

Em cerca de 10 minutos de caminhada, já estávamos no coração do bairro da Recoleta, caminhando por ruas residenciais, tranquilas e arborizadas. Apesar da Recoleta ser uma região agradável, a localização não é tão prática para curtir outros pontos turísticos de Buenos Aires, ficando apenas próximo do Cemitério da Recoleta e arredores. De qualquer forma, o metrô está ali pertinho.

Ruas residenciais e arborizadas do bairro da Recoleta

Prós e Contras: Centro x Recoleta em Buenos Aires

Centro

  • Praticidade para alcançar a pé a maior parte das atrações de Buenos Aires
  • Estações de metrô próximas
  • Variada opção de comércio na região, especialmente na Rua Florida
  • Movimento reduzido à noite e no fim de semana; a maior parte do comércio fecha
  • Aparência e sensação de segurança não são muito favoráveis
  • Preços mais baixos, especialmente nos fins de semana

Recoleta

  • Bairro residencial, agradável para circular a pé
  • Chance de estar mais próximo do estilo portenho de vida
  • Aparência e sensação de segurança melhores do que no centro
  • Boas opções de shoppings, restaurantes e atrações no bairro da Recoleta
  • Outras atrações de Buenos Aires ficam mais distantes, como no centro e Puerto Madero
  • Estação de metrô próxima (dependendo da localização na Recoleta)
  • Preços mais altos se comparados com hotéis do centro

Seja no centro, na Recoleta ou em outros bairros de Buenos Aires, recomendamos dar uma conferida nas fotos e avaliações de outros hóspedes no Booking.com. O site também é útil para consultar disponibilidade e fazer as reservas.

FICHA TÉCNICA:

Direção: Centro de Buenos Aires
Produção: nossas 2 diárias custaram US$ 457,00, preços promocionais podem ser encontrados nos fins de semana
Fotografia: Fábio Pastorello
O melhor: definitivamente, o 23o. andar é o diferencial, com a sua fabulosa área da piscina e a vista para a Avenida Nove de Julho
O pior: se formos bastante exigentes, o café da manhã, apesar da variedade, não prima pela qualidade dos produtos oferecidos
Ano: 2012
País: Argentina

Avaliação: ★★★★

FICHA TÉCNICA:

Hotel/Pousada: Art Hotel Buenos Aires
Direção: Recoleta, Buenos Aires
Produção: nossas 2 diárias custaram US$ 158,00
Fotografia: Fábio Pastorello
O melhor: a decoração dos quartos e das áreas comuns torna o espaço bem interessante e convidativo, driblando a pequena área dos quartos
O pior: a área do quarto e do banheiro é bem pequena e pode incomodar aqueles que preferem espaços mais amplos e com áreas livres para circulação
Ano: 2012
País: Argentina
Avaliação: ★★★

Leia também: Dazzer Recoleta

© 2013 Fabio Pastorello. Todos os direitos reservados. A reprodução de textos e/ou imagens não é permitida sem prévia autorização do autor.

Nota: Nossa viagem não foi uma cortesia ou patrocinada pelos hotéis e representa uma opinião livre e independente. Esse post contém links para sites afiliados. 

share on:
Fabio Pastorello

Fabio Pastorello

Editor do Viagens Cine, fotógrafo e videomaker. Curte cinema e leva a vida e as viagens com toques de romance, drama e aventura. Formado em Letras, ex-bancário e muito mais feliz como blogueiro de viagens.

6 comentários

  1. Oi, Singra. Super obrigado pelo seu comentário. Então, no final das contas, por mais que as pessoas amem a Recoleta ou até Palermo, eu achei mais prático ficar no centro, porque estava mais próximo para ir a pé para regiões como Puerto Madero e Calle Florida. Mas realmente é um pouco esquisito para caminhar à noite. Abraços.

  2. Amei as dicas, bem detalhadas e com lindas fotos!
    Gosto muito desse blog!!! PARABÉNS!!! 🙂
    Mas, afinal, se pudesse hoje escolher um bairro para ficar, em qual vc ficaria: Centro ou Recoleta?
    Abs!

  3. Olá, Emma. Eu também tenho ótimas lembranças do Panamericano, que bom que vocês partilham de nossa avaliação. E ter assistido a performance dos cantores do Colón deve ter sido incrível, hein? Que máximo. Um grande abraço e obrigado pela visita. Abs.

  4. Meu marido e eu já nos hospedamos duas vezes no Panamericano e concordo com sua avaliação, tanto nos pontos positivos quanto negativos. Na primeira vez ficamos na parte antiga, com carpete etc… Na segunda, ficamos na ala nova, com piso de madeira , mas detestamos o tipo de chuveiro.
    O café é exatamente o que você descreveu. A internet é paga e lenta.

    Os funcionários da recepção foram extremamente simpáticos.
    Uma surpresa agradável é que tive chance de assistir no auditório do hotel uma apresentação de cantores líricos do Teatro Colón.

    No final das contas, temos ótimas lembranças de Buenos Aires e do Panamericano.
    Parabéns pelo blog.
    Emma

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.