Fórum de Turismo LGBT capacita agentes de viagem em São Paulo

Forum de Turismo LGBT

Na semana da 21a. Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, a ABTLGBT em conjunto com a Revista ViaG, promoveram o Fórum de Turismo LGBT no Brasil, no dia 13 de junho de 2017.

O evento buscou capacitar agentes de viagem e operadores para entender melhor o segmento LGBT. Por aqui, nós já falamos um pouco sobre algumas boas práticas de como atender melhor o viajante LGBT.

Na prática, o que muito se ouviu é que o viajante LGBT deve ser tratado exatamente como os outros turistas. E o público LGBT não espera regalias ou tratamentos diferenciados, mas justamente igualdade e respeito no atendimento.

Mas ainda assim existem características e treinamentos que os profissionais que atendem essas pessoas devem buscar.

Alguns destinos turísticos e hotéis já estão muito bem preparados para esse público. O Fórum de Turismo LGBT foi um excelente espaço para conhecer e trazer algumas dessas experiências e melhores práticas.

Fórum de Turismo LGBT capacita agentes de viagem em São Paulo

Evento lotou espaço no Hotel Meliá Paulista e trouxe painéis com tendências sobre o turismo LGBT

Forum de Turismo LGBT Brasil

O Brasil é o segundo maior mercado LGBT do mundo (perdendo apenas para os Estados Unidos). Mas ainda existe muito potencial para crescimento do setor.

Apesar de muitos problemas já estarem superados, como aquela velha questão do constrangimento ao pedir cama de casal nos hotéis, ainda há um longo caminho a percorrer. Esforços de promoção e comunicação com o público LGBT entre destinos turísticos brasileiros ainda são pequenos. Pelo menos se comparados com o potencial do público.

Mas Clóvis Casemiro, representante da IGLTA – International Gay and Lesbian Travel Association no Brasil, enxerga no Fórum um excelente ponto de partida. “Essa é a primeira vez que um evento LGBT no Brasil é patrocinado integralmente pela iniciativa privada, e o investimento vem de empresas e destinos respeitados internacionalmente. A procura foi imensa e estamos com a capacidade de inscritos esgotada. Mas já temos outros participantes e empresas interessados numa próxima edição”, declarou Casemiro.

Fórum de Turismo LGBT São Paulo
Clóvis Casemiro, da IGLTA, foi um dos responsáveis pelo Fórum de Turismo LGBT

De fato, o evento aconteceu no Hotel Meliá Paulista (onde eu e Cleber passamos a nossa noite do nosso casamento) e estava lotado.

Os patrocinadores dessa edição foram a Delta Airlines, a rede Hard Rock Hotels (também nossa velha conhecida, veja aqui nossos posts no Hard Rock), os destinos Fort Lauderdale Berlim & Viena e o aplicativo Hornet.

A importância de ser gay friendly

Marcelo Michieletto, presidente da ABTLGBT – Associação Brasileira do Turismo LGBT, começou o Fórum de Turismo LGBT lembrando da relevância do trade estar mais unido. Justamente pela importância e força que o mercado turístico brasileiro possui.

Fórum de Turismo LGBT São Paulo
O presidente da ABTLGBT, Marcelo Michieletto, abriu os trabalhos do Fórum

Na sequência, Amanda Leonel, CEO da Editora Via (responsável pela revista ViaG, uma das organizadoras do evento), lembrou de quando começou a revista há 9 anos e do quão pouco se falava de turismo LGBT no Brasil. Ela ainda trouxe noções básicas ao público, sobre a diferença dos termos homossexualismo e homossexualidade (o sufixo ismo significa doença, portanto deve ser evitado), opção e orientação sexual (ninguém opta por ser gay, é uma orientação) e a sigla LGBT.

Uma das ideias principais que Amanda levantou é sobre o fato de um destino ou estabelecimento ser gay friendly. Isso não significa que o lugar será exclusivamente gay, mas está capacitado para receber bem esse tipo de público.

É preocupante que alguns profissionais de turismo ainda acreditem (erroneamente, é lógico) que abraçar o termo gay friendly pode limitar o seu público.

Quem é o turista LGBT

Amanda ainda trouxe diversos números impressionantes sobre o potencial do mercado:

  • O turismo LGBT cresce 11% ao ano.
  • Inclui um tipo de viajante com maior poder aquisitivo (45% dos gays viajam para o exterior, sendo que a média nacional é de 9%), que gastam 30% a mais do que outros turistas.
  • O setor LGBT movimenta cerca de R$ 190 milhões, somente no Brasil.
  • O turista LGBT viaja fora de temporada, pois em geral não está preso por compromissos escolares. É uma excelente oportunidade de alavancar destinos na baixa temporada. No entanto, com o crescimento de famílias gays, isso pode estar mudando.
  • O Brasil é o país com maior número de paradas LGBT no mundo. São 221 paradas espalhadas pelo Brasil e a maior parada LGBT do mundo acontece em São Paulo.
Fórum de Turismo LGBT São Paulo
Amanda Leonel, da revista ViaG, trouxe alguns conceitos sobre o turismo LGBT

As empresas também têm mudado a forma como tratam seus funcionários LGBT. É o que mostrou o painel Como superar o preconceito dentro da própria empresa?, que trouxe para o Fórum de Turismo LGBT representantes da Delta Airlines, da rede de hotéis Marriott (onde passamos nossa lua de mel em Aruba) e da IBM.

As empresas adotam políticas e programas educativos que visam reduzir cada vez mais atos discriminatórios dentro dos ambientes de trabalho.

Hotéis gay friendly

O painel Como receber e entender as necessidades dos hóspedes LGBT? trouxe representantes das redes Accor, Hard Rock e Meliá. O discurso em comum durante o Fórum do Turismo LGBT é que esses hotéis buscam igualar o atendimento a todos os públicos.

Fórum de Turismo LGBT São Paulo
Um dos painéis com representantes de hotelaria trouxe boas práticas para receber bem os hóspedes LGBT

Treinamentos, cartilhas e políticas internas aperfeiçoam o atendimento equânime a todos os hóspedes, independente de cor, sexo, religião ou, justamente, a orientação sexual.

Mesmo assim, Leonel Reyes, da rede Hard Rock, tem programas específicos para o público LGBT. Anualmente, durante 2 ou 3 semanas, o Hard Rock Vallarta atende exclusivamente esses turistas. Mas a prática acontece da mesma forma como se o resort fechasse suas portas para um evento corporativo ou para uma festa segmentada.

Por isso, ainda que o atendimento seja igualitário, considerar campanhas ou promoções que foquem nos viajantes gays, lésbicas, bissexuais e trans, é mais do que recomendável.

Destinos gay friendly

Certos destinos já conseguem naturalmente atrair o público. No Fórum de Turismo LGBT, participaram representantes de Viena, de Fort Lauderdale, da Grã-Bretanha e da Espanha. Esses destinos já possuem ampla experiência na forma de lidar e atender os gays.

O fato de já possuírem um histórico de bem receber e aceitar a diversidade, torna esses destinos naturalmente atrativos. Segundo Antonio Ruiz Morales, Diretor do Escritório de Turismo da Espanha no Brasil, uma sociedade gay friendly e que respeita a diversidade, como é o caso da Espanha, acaba facilitando que o destino atraia cada vez mais viajantes LGBT.

Fórum de Turismo LGBT São Paulo
Como se tornar um destino gay friendly? Especialistas falaram sobre suas experiências

Um dos pioneiros da promoção de sua cidade como destino LGBT, Richard WB Gray, do Greater Fort Lauderdale Convention & Visitors Bureau, salienta que é preciso ser genuíno e autêntico na forma de receber todos os viajantes, inclusive os gays. Ele acredita que apesar dos números e do poder econômico do público LGBT, tratar esses viajantes de forma equalitária é a coisa certa a se fazer.

Comunicação com o público LGBT

Malcolm Griffiths, do VisitBritain, trouxe ainda a ideia de desenvolver conteúdos personalizados aos turistas LGBT e se envolver com o público através das redes sociais. O acolhimento ao turista deve ser mostrado em todas as fases da viagem.

Débora Creutzberg, representante de Viena, apresentou o destino como um dos mais recomendados para viajantes LGBT que desejam casar no exterior. O casamento civil LGBT é reconhecido na Áustria desde 2010. Como o destino é naturalmente romântico, atrai também casais em lua de mel.

Outros destinos também estiveram presentes no Fórum de Turismo LGBT, como as Ilhas Seychelles, que começam a entender melhor o público mas já se mostram bastante receptivos. Gisele Abrahão, representante do destino no Fórum, argumentou que o fato de ser um arquipélago com ilhas paradisíacas e um destino para quem busca exclusividade e privacidade, torna Seychelles um lugar também perfeito para viajantes em lua de mel.

Leia mais sobre turismo LGBT aqui no blog

Fonte: B4TComm Agência de Comunicação

Tags:
share on:
Fabio Pastorello

Fabio Pastorello

Editor do Viagens Cine, fotógrafo e videomaker. Curte cinema e leva a vida e as viagens com toques de romance, drama e aventura. Formado em Letras, ex-bancário e muito mais feliz como blogueiro de viagens.

2 comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.