“O Amante Duplo” traz suspense erótico de François Ozon

"O Amante Duplo" traz suspense erótico de François Ozon

O longa metragem O Amante Duplo”, do diretor François Ozon, entra em cartaz no dia 21 de junho no Brasil.

François Ozon é um jovem realizador do cinema francês responsável por obras como “Oito Mulheres”(2002), “Swimming Pool”(2003), “Potiche: Esposa Troféu” (2010), e “Dentro da Casa” (2012). Suas obras costumam circular por diversos gêneros cinematográficos, que desde o musical até o cinema fantástico.

Em “O Amante Duplo”, é a vez do diretor apostar no suspense erótico, que remete ao cinema de Brian de Palma.

"O Amante Duplo" traz suspense erótico de François Ozon
“O Amante Duplo” traz suspense erótico de François Ozon

Ozon e o suspense erótico de “O Amante Duplo”

A história começa acompanhando a história de Chloé (Marine Vacht), uma jovem que sofre com dores e resolve se consultar com um psicanalista (Jérémie Renier). Ela acaba se apaixonando por ele, na mesma medida em que suas dores se dissipam. Os dois acabam se casando, mas quando ela conhece o irmão gêmeo do marido, as crises (e as dores) retornam para a vida dela.

Como grande parte da trama acompanha a mente de Chloé e suas variações de temperamento, o diretor optou por escolhas estéticas que acompanhassem esse conflito psicológico. “O filme conta um uma história essencialmente mental, e a ideia foi dirigir arquiteturalmente, brincando com a simetria, reflexos e geometria. Todos os sets foram concebidos para criar a impressão de que algo estava sendo construído, que um cérebro estava desenvolvendo um pensamento”.

“Chloé expressa humores bem diferentes, dependendo do homem que ela está. Com Paul, ela é comportada e reservada. Com Louis, ela se revela desafiadora e provocadora, até mesmo quando se deixa dominar por ele”, declarou Marine Vacth.

"O Amante Duplo" traz suspense erótico de François Ozon
Na trama de Francois Ozon, uma jovem se apaixona por seu psicanalista e depois acaba se envolvendo também por seu irmão gêmeo

O duplo e as questões familiares

O tema do duplo, refletido na trama através dos irmãos gêmeos por quem Chloé se envolve, é sempre intrigante. Em “O Amante Duplo”, o clima de suspense é crescente e constrói diversas camadas bastante interessantes. Outro assunto recorrente na filmografia do diretor, a questão da família, também está presente nessa película.

Boa parte dos personagens da filmografia de Ozon fogem da instituição familiar, de forma quase sistemática. Eles fogem deliberadamente seja através do suicídio, como o Marcel de “Oito Mulheres” ou através do isolamento, como o personagem cujo câncer o isola da família e do namorado em “O Tempo que Resta” (2005).

Se há personagens que fogem, há também aqueles que fazem de tudo para se manter nela, como a Marie de “Sob a Areia”, que teme ser agora uma mulher sem marido ou o Gilles de “Amor a Cinco Tempos”, que após o divórcio deseja retomar o relacionamento. Ozon estuda o ser humano que nega a família, mas cuja vida não existe sem ela.

"O Amante Duplo" traz suspense erótico de François Ozon
O ator Jérémie Renier vive os irmãos gêmeos que confundem a mente de uma ex-modelo (Marine Vatch)

Em “O Amante Duplo”, vale ficar de olho também na relação conflituosa entre os irmãos gêmeos e o próprio conflito de Chloé que irá se revelar no decorrer da história.

O filme é baseado no livro Lives of the Twins, de Joyce Carol Oates, e foi um dos competidores no Festival de Cannes em 2017.

A distribuição é da California Filmes.

Ficha Técnica

Direção: François Ozon
Elenco: Marine Vacth, Jérémie Renier, Jacqueline Bisset
Gênero: Drama
País: França, Alemanha, Bélgica
Ano: 2017
Duração: 119 min
Classificação: 18 anos

Tags:
share on:
Fabio Pastorello

Fabio Pastorello

Editor do Viagens Cine, fotógrafo e videomaker. Curte cinema e leva a vida e as viagens com toques de romance, drama e aventura. Formado em Letras, ex-bancário e muito mais feliz como blogueiro de viagens.

Deixe um comentário