Suíça – O que fazer em Zermatt e a Montanha Matterhorn

O que fazer em Zermatt? Nossos relatos de viagem pela Suíça continuam com Zermatt e a montanha Matterhorn. Apesar da viagem ter sido há algum tempo, está sendo muito legal lembrar aqui pelos posts do blog. Espero que vocês também estejam curtindo a leitura e as fotos.

Depois de termos visto os relatos de Jungfraujoch e Interlaken, agora continuamos a viagem para um lugar não menos impressionante e encantador. A cidade de Zermatt é o ponto de partida para conhecer a montanha Matterhorn, mais famosa montanha da Suíça e também conhecida como na embalagem do chocolate suíço Toblerone.

Pense em tudo o que você imaginou da Suíça e lembre de algumas daquelas paisagens de calendário ou papel de parede de computador. Em Zermatt, você vê esses lugares ao vivo e a cores. Confira. 

Suíça – O que fazer em Zermatt e a Montanha Matterhorn

Veja ao vivo aquelas paisagens de calendário ou papel de parede

um roteiro de 

O que fazer em Zermatt e a Montanha Matterhorn
A montanha Matterhorn é a grande atração de Zermatt: a montanha mais fotografada do mundo

Curiosidades sobre Zermatt e o Matterhorn

  • Zermatt fica aos pés da montanha Matterhorn, a montanha mais fotografada do mundo;
  • 1/3 das montanhas dos Alpes está localizada nessa região;
  • a pista de esqui é a mais alta dos Alpes;
  • o clima é quase sempre ensolarado, são em média 300 dias de sol ao ano;
  • é o lugar que menos chove na Suíça;
  • o ar em Zermatt é mais limpo, pois veículos movidos a combustível são proibidos por lá, desde 1947;
  • a cidade é o ponto de partida para o Glacier Express, uma das viagens de trem mais famosas do mundo, que atravessa a Suíça até St. Moritz;
  • mais de 3000 alpinistas escalam o Matterhorn todo ano;
  • a altura do Matterhorn é de 4.468 metros e foi escalado pela primeira vez em 1865.

No mapa, podemos visualizar que Zermatt se encontra quase na divisa da Suíça com a Itália.
Fonte: http://www.ski-zermatt.com/

Zermatt – Como Chegar

No site da SBB CFF FFS – Swiss Federal Railways, eu já havia consultado que de Interlaken (onde eu estava) para Zermatt, seriam preciso duas conexões: em Spiez e Zisp. O impressionante é que mesmo com essas duas conexões, o tempo de viagem foi rigorosamente seguido. Foram pouco mais de 2 horas de viagem.

No site da SBB, é possível consultar o tempo de viagem, horários de partida e conexões

A viagem, como todas de trem na Suíça, também é uma atração, e cruzamos um vale entre montanhas. Garantia de paisagens belíssimas.

Para consultar como chegar em Zermatt, basta acessar o site da SBB CFF FFS e indicar seu lugar de partida. O site indica o tempo de viagem, as conexões (você já pode verificar as plataformas de embarque, o que irá facilitar na hora da troca de trens) e as empresas que irão transportá-lo. É bem fácil. 

O que fazer em Zermatt e a Montanha Matterhorn
Paisagem durante a viagem de trem até Zermatt

Para quem vem de carro, é preciso deixar o carro em Tasch (5 km antes de chegar em Zermatt), já que a circulação de veículos não é permitida por lá. Um lugar sem carros? Já é de se apaixonar. Na realidade a circulação de carros é restrita aos veículos elétricos. Mas os carros realmente são desnecessários.

A cidade de Zermatt

Quando cheguei em Zermatt, encontrei uma cidade muito simpática e pitoresca. Ficar em Zermatt é uma experiência próxima do que seria ficar em Monte Verde ou Campos de Jordão. Lógico, com a diferença que você está na Suíça e na região dos Alpes. 

Apesar de pequena (tem pouco mais de 5 mil habitantes), parecia que seria difícil se perder, mas eu consegui. Rodei um pouco até conseguir achar o hotel onde eu ficaria hospedado. É que as ruas não tinham placas.

O que fazer em Zermatt e a Montanha Matterhorn
Caminhando por campos verdejantes e floridos e olhando para montanhas e picos nevados: a Suíça é assim

Zermatt – Onde Ficar

Zermatt é muito pequena, portanto acho que não tem muito erro de escolher onde ficar, mas eu prefiro sempre ficar próximo à estação de trem. Eu fiquei no Le Petit Hotel e recomendo. O hotel é uma pequena jóia, compacto, simples, mas muito aconchegante. As paredes são todas de madeira e é tudo muito quentinho e agradável.

Só não espere muito luxo, é tudo muito simples, mas o atendimento foi impecável. Fui recebido por um funcionário português, por isso ainda me senti mais à vontade de chegar e poder me comunicar em português. As diárias giram em torno de CHF 120,00 para 2 pessoas.

Le Petit Hotel

Veja mais fotos dos quartos e informações de outros hóspedes clicando aqui (Le Petit Hotel).

Onde Ficar em Zermatt
Le Petit Hotel, hospedagem bem charmosa na não menos charmosa Zermatt

O recepcionista me informou sobre um terraço na cobertura e resolvi subir para conferir a vista da cidade lá de cima.

Zermatt Suica
Zermatt, suas casas de madeira pitorescas encravadas nos Alpes suíços
  O que fazer em Zermatt e a Montanha Matterhorn

Depois de conferir a vista do alto do hotel, foi a vez de descer às ruas e explorar a cidade.

Explorando o centrinho de Zermatt

Achei a cidade mais movimentada que Interlaken, talvez pelo fato de ser mais compacta. As lojas, restaurantes e comércio se concentram em poucas quadras, na Bahnhofstrasse.

Zermatt Suica
Centrinho de Zermatt, que na realidade se resume a apenas uma rua de comércio, restaurantes e lojas

Depois de circular rapidamente pelo centro, fui em direção oposta, para ver se eu já conseguia um ponto de vista para o Matterhorn. E qual não foi a minha surpresa que, após alguns minutos de caminhada, ele já estava lá, muito lindo e cortando os céus da Suíça.

Zermatt Suica
Matterhorn, hipnótico
Zermatt Suica
No início da trilha para o Matterhorn

Como já estava tarde, voltei para o hotel e fui descansar um pouco, mas morrendo de ansiedade de continuar aquele caminho que eu tinha visto só o início, mas que parecia muito promissor.

Noite em Zermatt

O dia seguinte começou ensolarado, o rapaz português da pousada me disse que eu tinha dado sorte, já que na semana anterior, o tempo ficara fechado durante vários dias. O café da manhã no Le Petit Hotel é simples, com pães, torradas, salame e outros frios, iogurte e frutas.

Embalagem do chocolate Toblerone, ilustrado pelo Matterhorn

Trilha Matterhorn 

São mais de 400 km de trilhas pela região. Pena que eu tinha apenas 1 dia. Escolhi uma que passaria pelo vilarejo de Zmutt, mas foi meio acaso. Se hoje fosse fazer novamente, entraria na página de hiking de Zermatt e programaria algumas trilhas para percorrer. Eles indicam os percursos, o nível de dificuldade e a duração, ótimo para se planejar e também saber o que você irá encontrar.

Minha cabeça amanheceu um pouco colorida, provavelmente o couro cabeludo devido ao meu corte de cabelo e ao sol que eu havia pegado, principalmente nas trilhas. Quem disse que não se queima com sol na Suíça? Os lábios também estavam ressecados. Saí em busca de um boné e comprei um bem simpático (que aliás, tenho até hoje).

Exibir mapa ampliado

Fiquei na dúvida entre as opções do que fazer em Zermatt (funicular, Gornergrat ou trilha), mas a trilha não me saía da cabeça e resolvi fazê-la. Com o sol, a paisagem ficou ainda mais incrível do que no dia anterior, mas o calor também estava pior.

Como Chegar na Trilha

Para chegar até a trilha, é só percorrer a rua principal de Zermatt (Bahnhofstrasse) rumo ao sul, sempre acompanhando à esquerda o rio que atravessa a cidade. Em menos de 15 minutos você chega numa área com alguns bancos de madeira e algumas cabines telefônicas. É muito fácil de achar, algumas placas também indicam o caminho.

O caminho que eu iria percorrer vai até a vila de Zmutt. Na trilha, que na verdade é um caminho muito largo e por vezes ligeiramente íngreme, mas nunca difícil de percorrer, os estrangeiros utilizavam bastões de caminhadas, que em virtude do nível de dificuldade achei desnecessários. Embora fácil, você está subindo uma montanha, então o esforço é considerável. 

Um caminho florido e sempre com a paisagem das montanhas a minha volta

Para quem gosta de flores, nessa página você pode conferir um pouco mais todas as espécies de flores alpinas que pode encontrar por lá, entre as mais comuns estão a Edelweiss e a rosa alpina.Minha caminhada foi extremamente lenta, como se costume. Parei inúmeras vezes para fotografar o caminho, que era espetacular.

Cada vez que eu subia mais pela trilha, as paisagens ficavam ainda mais incríveis. Muitas flores, casas de madeira e até vaquinhas no caminho me entretinham durante a caminhada.

O que fazer em Zermatt e a Montanha Matterhorn
Momentos de tirar o fôlego quase na chegada a Zmutt
Zermatt Suica
Para qualquer sentido que eu olhasse, a paisagem era cinematográfica

Zmutt

Quando cheguei no pequeno vilarejo de Zmutt, o lugar mais parecia uma cidade fantasma. Nesse ponto você enxerga só a pontinha do Matterhorn.

As casinhas de madeira e as ruelas estreitas tornam o lugar muito pitoresco. No lugar também você encontra uma capela e dois restaurantes, onde você pode fazer o seu almoço. Não foi minha opção, pois ainda queria fazer bastante coisa naquele dia, mas acho que é uma boa opção almoçar por lá.

A trilha é circular. Voltei para o centro de Zermatt pois ainda tinha outros planos para meu dia por ali.

No site My Switzerland.com, você também encontra um mapa da trilha e mais algumas informações.

Próxima parada: subir até o Gornergat e conferir mais algumas paisagens e neve no alto das montanhas. No próximo post.

Zermatt – O que fazer

 

  • São mais 400 km de trilhas para caminhar. Se você tem pouco tempo, como foi meu caso, a trilha até Zmutt é uma boa opção e já garante paisagens de tirar o fôlego
  • Matterhorn Museum: abriga os equipamentos da primeira escala ao Matterhorn, em 1865, e que terminou de forma trágica.
  • Gornergrat: assim como o Jungfraujoch, uma viagem de trem leva você até uma altitude de 3.000 metros, numa região com ótimas vistas do Matterhorn e do maciço Monte-Rosa e com boas opções de caminhada nas montanhas.
  • Glacier Paradise (Klein Matterhorn): o observatório mais alto da Europa (3.833 metros), é acessível através de um teleférico e também possui um palácio de gelo (veja relato do Ricardo Freire no Viaje na Viagem).
  • Outras coisas para fazer em Zermatt. Confira no TripAdvisor.
Glacier Paradise. Fonte: http://www.matterhorn-group.ch/

Zermatt – Dicas

 

  • Fiquei somente 1 dia em Zermatt. Não foi o suficiente. Recomendo pelo menos 2 dias na cidade.
  • Bate e volta também não acho recomendável, pois ficar em Zermatt é super gostoso, a cidadezinha é um charme. Ótima para viagens românticas.
  • Quem viaja no inverno, pode curtir muitas atividades de esqui.
  • Quem viaja no verão (como foi o meu caso), tem excelentes e belíssimas trilhas para percorrer. Mas a neve também está garantida. Através de trens ou teleféricos, você vai até maiores altitudes e tem contato com as paisagens cheias de neve.
  • Quem vai até Zermatt, em geral alia sua viagem ao trem Glacier Express, uma viagem de trem que leva 8 horas e percorre paisagens magníficas da Suíça. O único senão é que você só consegue fotografá-las por detrás de um vidro.

O que fazer em Zermatt e a Montanha Matterhorn


Fontes:

Zermatt Matterhorn.  http://www.zermatt.ch/en
My Switzerland.com. http://www.myswitzerland.com/en-us/zermatt.html
The Walking Guide. Zermatt to Zmutt. http://www.ski-zermatt.com/mattnet/features/walking_guide/zmutt.html


Esse ano foi lançado um filme chamado “A Montanha Matterhorn“. Veja o trailer. A conferir.

© 2014 Fabio Pastorello. Todos os direitos reservados. A reprodução de textos e/ou imagens não é permitida sem prévia autorização do autor.

Nota: Esse post contém links para sites afiliados (Booking.com). 

Veja outros posts da Suíça e dos Alpes

Tags:
share on:
Fabio Pastorello

Fabio Pastorello

Editor do Viagens Cine, fotógrafo e videomaker. Curte cinema e leva a vida e as viagens com toques de romance, drama e aventura. Formado em Letras, ex-bancário e muito mais feliz como blogueiro de viagens.

18 comentários

  1. Tem que pagar para fazer essa trilha que você fez? …ou é tipo um parque fechado que cobra entrada para fazer as trilhas? Agradeço se puder me passar essa informação.

  2. Olá Fabio!!
    Parabéns pelos seus post!!
    Vou ano que vem para a Suiça e conseguir definir muitos detalhes da viagem através dos seus post.
    Obrigado irmão!

  3. Oi, Michelle. Que ótimo, espero que curta bastante o blog! Pois é, estou devendo o post de Gornergrat, dei uma parada nos posts da Suíça por causa da minha viagem recente para a Europa, mas por esses dias vou retomar. Fique de olho. Um super abraço!

  4. Olá, Fábio. Tudo bem? Nós temos duas paixões em comum: o cinema e as viagens. Estou indo para a Suíça em novembro e seu blog tem me ajudado MUITO. Vi que no final do texto você menciona um novo post com o passeio em Gornegrat. Procurei no seu blog e não achei nada. Ele ainda não foi publicado? Grande abraço.

  5. Oi, Pollyanna. Que ótimo que você chegou aqui, fico feliz que o blog ajudou a definir a sua viagem romântica. Tenha certeza que a Suíça é perfeita para isso. Muito obrigado pelo comentário, enquanto não vem o pagamento do governo suíço rs, o maior pagamento é mesmo o comentário dos leitores. Abraços.

  6. Um de meus objetivos na vida é fazer uma escala em uma montanha como essa! Parabéns por nos presentear essas maravilhosas imagens Fábio, ficamos muito grato. Abraços!

  7. Caramba, que coisa maravilhosa!
    Estou procurando destinos românticos para minha viagem de aniversário de casamento, em 2015, e me deu um estalo: "Suíca, quem sabe?"
    Santo google me fez cair neste blog… que ótima surpresa!
    Todos os posts que li até agora muito bem feitos, informativos, e cheio de imagens de tirar o fôlego… estou seriamente considerando a Suíça agora!
    O governo deveria lhe pagar pela propaganda 😉

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.