Paris – Giverny: Monet e seus Jardins Cinematográficos

Um dos lugares que mais tinham me deixado ansioso para voltar a Paris eram os famosos jardins de Monet. Os jardins ficam em Giverny, uma comuna francesa próxima de Paris. O bate-volta é super viável.

Além da notória fama dos jardins, outro dos motivos que nos levaram a Giverny é porque o lugar é o ponto de partida de um dos filmes que escolhemos como inspiração de nossa viagem.

A sequência inicial de “Meia Noite em Paris”, de Woody Allen, justamente tem os jardins de Monet como cenário. É ali que os personagens de Owen Wilson e Rachel McAdams se beijam e têm seu primeiro diálogo no filme, falando sobre a viagem deles até Paris.

É por isso que enquanto muita gente visita os jardins de Monet e imagina ali as telas maravilhosas do pintor Claude Monet, eu também imagino algumas cenas de cinema.

Giverny: Os Jardins de Monet | Paris

Europa 2015: Diário de Viagem – Dia 2

de 

Giverny e os Jardins de Monet - Bate volta de Paris
Um dos jardins mais lindos do mundo: seja bem-vindo aos jardins de Monet, em Giverny

Na cena do filme de Woody Allen, os personagens estão conversando calmamente na Ponte Japonesa, um dos lugares mais disputados pelos visitantes dos Jardins de Monet.

Quando chegamos naquela ponte apinhada de gente, logo imaginamos que ia ser praticamente impossível tirar uma foto por ali sem ninguém em volta. No blog do Ricardo Freire, ele até recomenda tirar uma foto, embaçar o entorno com algum filtro e “dar contornos impressionistas a suas imagens”.

Lógico, basta um pouco de paciência e você vai conseguir tirar sua foto sem ninguém em volta. Ou quase ninguém, vai…

Cleber e eu na Ponte Japonesa dos Jardins de Monet

Como Chegar em Giverny: Passo a Passo

1 – Para chegar em Giverny, o primeiro passo é ir até a Gare Saint Lazare, em Paris.

Gare Saint Lazare, ponto de partida em Paris para a visita aos jardins de Monet

2 – Mas antes de ir, fica a dica: dê uma olhada no site da SNCF e verifique os horários de trens disponíveis. Isso porque os horários são espaçados. Nós chegamos um pouco depois da saída de um trem e tivemos que esperar mais de 1h30 até o próximo horário (exemplo dos horários disponíveis na nossa visita: 8h20 e 10h20) Ou seja, nossos planos de chegar mais cedo em Giverny deram errado.

3 – A viagem leva 45 minutos e custa € 14,70 por pessoa (somente ida). Já compre também a volta. Não há lugar marcado e sem necessidade de reserva. Para o destino, você deve informar VERNON GIVERNY. Os bilhetes podem ser comprados tanto em guichês como em terminais de auto-atendimento. É bem simples de comprar. Se quiser adiantar ainda mais, compre online.

4 – Não esqueça de validar o bilhete nas máquinas que ficam perto da plataforma de embarque. É só inserir o ticket e ouvir o barulho de registro.

5 – Chegando na estação de Vernon, siga algumas pegadas no chão, com a indicação Giverny. É rapidinho e você chegará em um ponto de ônibus. A saída do ônibus é sincronizada com a chegada do trem, mas procure não demorar muito. O ônibus custa € 8,00 por pessoa ida e volta.

  

6 – Pronto, em 15 minutos você chega em Giverny. Mas Giverny e Jardins de Monet não são a mesma coisa. Ao descer do ônibus, atravesse uma passagem subterrânea, caminhe até o final da rua e vire à direita na Rua Claude Monet.

 

Chegando em Giverny

As ruas e casas que cercam os jardins de Monet são quase tão encantadoras quanto o interior dos jardins. Giverny é a comuna onde se encontram os jardins. Mas há mais em Giverny do que somente a Casa e os Jardins de Monet.

Por isso, reserve algum tempo para caminhar tranquilamente pelas ruas ou até fazer uma refeição antes ou depois de sua visita. Há uma praça de alimentação por lá.

A região é compacta e não há muito como se perder. As ruas são limpas, as casas parecem de brinquedo e os jardins já muito bem cuidados. É um encanto.

A notícia triste: quem chega lá por volta das 11h, que foi o nosso caso, encontra as ruas absolutamente lotadas. Acho que esse é o pior horário para chegar por lá: entre às 10h e 12h. Ou chegue antes disso, ou chegue depois.

Ruas de Giverny
Rua Claude Monet, em Giverny, no caminho para os jardins de Monet

A Casa e os Jardins de Monet: O que Fazer

Caso você ainda não tenha comprado seu ingresso online, no site da Fundação Claude Monet, precisa pegar uma fila para comprar o seu ingresso. Não é nada muito demorado, mas perdemos uns 15 minutos de espera.

Enquanto o Cleber ficou na fila, aproveitei para tirar mais algumas fotos do centro de Giverny.

O ingresso custou 9,50 € e há a possibilidade de comprar um ingresso combinado com o Museu Marmottan Monet, em Paris. No combo, o valor sobe para 20,50 €. Como o valor do Marmottan é 11,00 €, a única vantagem do combinado é evitar filas.

Fundação Claude Monet - Fila para os Ingressos
Fila para comprar o ingresso dos jardins

Ali, o pintor Claude Monet viveu por mais de 40 anos e pintou suas obras mais famosas.

Clos Normand

Os jardins são divididos em duas áreas principais. A primeira fica em frente à casa do Monet, os canteiros da Clos Normand e são dominados por uma quantidade impressionante de flores.

Não sou muito especialista em flores, mas o que importa é que elas são lindas e em muita variedade. Caminhe pelas alamedas e aproveite. A única alameda que não pode ser percorrida é o caminho central.

O lugar é realmente um sonho, aliás construído e cultivado por Claude Monet justamente da forma como ele havia sonhado.

Giverny Monet
O caminho por entre as alamedas permite chegar bem pertinho das flores magníficas dos jardins
Cleber cercado pelas flores do Clos Normand
Clos Normand - Jardins de Monet em Giverny
O caminho central é o único que não pode ser percorrido, ao fundo você vê a casa de Monet
  

Jardim das Águas (Water Garden)

Se você chegou cedo e quiser evitar as multidões, corra logo para o Water Garden e deixe para conferir o Clos Normand na volta.

O espaço é amplo sim, e há alguns lugares bem tranquilos, mas todo mundo se junta para tirar uma foto na famosa Ponte Japonesa, que ao contrário das pontes japonesas, Monet decidiu pintá-la de verde.

Para ajudar os visitantes, existem duas pontes, uma em cada extremo do lago. A mais bonita está coberta com glicínias (wisteria), um flor trepadeira de cores azuladas e roxas, que forma uma espécie de corredor sobre a ponte.

Ponte Japonesa Giverny Monet
Visitantes disputam espaço em uma das pontes japonesas no Jardim das Águas
Jardins de Monet Giverny
Mas para quem aguarda pacientemente, pode ter um momento belo e de contemplação para os belos jardins de Monet

Além das pontes, as Nympheas (water-lily ou vitória-régia) era outro tipo de cenário precioso para o pintor. Monet pintou várias delas, e também gostava muito do reflexo das flores e árvores sobre as águas do lago.

A predominância de vegetação é japonesa, e destacam-se, por exemplo, os bambus e as cerejeiras. As cores criam um ambiente inesquecível.

É inevitável que a gente queira recriar um pouco da arte de Monet em fotos. O certo é que pelo menos podemos fazer algumas homenagens ao mestre, mas qualquer foto aqui mostrada está muito longe da beleza do que é ver o jardim pessoalmente.

As nympheas dominam a paisagem do Jardim das Águas, em Giverny
Detalhe de uma flor sobre as águas do lago
A mistura de flores e cores cuidadosamente criadas por Monet são completadas pelos reflexos do céu e das nuvens

Finalmente, era hora de tirar a nossa foto e recriar o momento do filme “Meia Noite em Paris”. Com um pouco de paciência, esperamos o nosso momento e ao alguém para nos fotografar, e pudemos ir embora com nosso registro cinematográfico. A foto nem ficou parecida rs e fotografamos na ponte errada, mas o que importa é a intenção.

  
Water Lilies and Japanese Garden, 1899.
Water Lilies and Japanese Bridge, Claude Monet, 1899. Princetown University.

A Casa de Monet

Composta de vários ambientes cuidadosamente recriados como eram na época em que o pintor era vivo, a casa é outro ponto de interesse nessa visita. Aproveite para contemplar os jardins a partir do interior da casa e imaginar como Monet vivia sempre em harmonia com as imagens dos jardins.

 
Jardins vistos a partir da Casa de Monet
Casa de Monet Giverny
Exterior da Casa de Monet

FICHA TÉCNICA:

Direção: Vernon Giverny
Produção: 29,40 € (trem ida e volta) + 8,00 (ônibus ida e volta) + € 9,50 (ingresso aos jardins)
Fotografia: Fabio Pastorello
O melhor: a beleza dos jardins, seja do Clos Normand como do Jardim das Águas, é impressionante. Um dos lugares mais lindos que eu já vi.
O pior: o excesso de pessoas, o lugar estava muito cheio o que atrapalhou um pouco nossa visita
Ano: 2015
País: França
Avaliação: ★★★★★

© 2015 Fabio Pastorello. Todos os direitos reservados. A reprodução de textos e/ou imagens não é permitida sem prévia autorização do autor.

Roteiro de Viagem – Dia 3: Invalides e Torre Eiffel

Sugerimos a leitura: 
Europa em 30 Dias: Roteiro pela França e Itália
Os 10 Melhores Filmes de Viagem da França e Itália

Leia também:
Viaje na Viagem: Passo a Passo – Como ir de Paris aos jardins de Monet em Giverny
Giverny.org: Giverny’s Monet Garden

Inscreva-se


>>> Você irá receber um e-mail, não se esqueça de clicar no link de confirmação.

Siga a gente nas redes sociais
Facebook YouTube Google+ Twitter Instagram

share on:
Fabio Pastorello

Fabio Pastorello

Editor do Viagens Cine, fotógrafo e videomaker. Curte cinema e leva a vida e as viagens com toques de romance, drama e aventura. Formado em Letras, ex-bancário e muito mais feliz como blogueiro de viagens.

3 comentários

  1. Olá,
    você acha que é necessário um dia inteiro para essa viagem? Ou que da para voltar no meio da tarde e fazer outras coisas em Paris?

Deixe um comentário