Parada SP 2017: A Maior Parada do Orgulho LGBT do Mundo

Parada do Orgulho LGBT de São Paulo 2018

A maior parada do orgulho LGBT do mundo. O mérito da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, que completa 21 edições em 2017, não é pouco.

Atrair cerca de 3 milhões de pessoas para um evento de uma minoria, ainda com poucos direitos assegurados em nossa sociedade, é motivo para ser celebrado. Portanto, toda vez que alguém vem com aquele discurso de a parada de São Paulo perdeu o próposito ou que virou carnaval, eu torço o nariz.

Esse é o evento mais importante do calendário LGBT do Brasil, o que mostra a crescente importância que o público LGBT ganha na sociedade. A julgar pela quantidade de empresas que em 2017 resolveram colar sua imagem aos gays, a influência é cada vez maior. Skol, Uber e Doritos foram patrocinadores, mas tantas outras empresas fizeram campanhas publicitárias com o tema LGBT.

Que venha muito mais. E a parada LGBT de 2017 foi linda, confira a seguir algumas das imagens.

Parada SP 2017: A Maior Parada do Orgulho LGBT do Mundo

Evento em São Paulo reúne 3 milhões de pessoas na Avenida Paulista com o tema Estado Laico

Parada do Orgulho LGBT de São Paulo: 2017

A Parada SP começou às 10h, com concentração na Avenida Paulista. O evento é organizado pela APOGLBT – Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo.

Tudo começou às 12h, com a apresentação da drag Tchaka e a presença da madrinha do evento, a apresentadora Fernanda Lima, do programa Amor e Sexo. O programa da TV Globo foi um dos grandes marcos na forma como abordou o tema gay em TV aberta. Além das falas delas, a presidenta Claudia Regina da APOGLBT-SP também falou algumas palavras.

Balões coloridos foram distribuídos entre a platéia, que deixaram esse momento ainda mais lindo.

Parada do Orgulho LGBT de São Paulo: 2017
Balões coloridos foram distribuídos ao público e deixaram tudo ainda mais colorido
Parada do Orgulho LGBT de São Paulo: 2017
Primeiro carro da Parada LGBT, o trio trouxe Fernanda Lima e a drag Tchaka

Na defesa do Estado Laico

Sobre o tema da parada do orgulho LGBT de 2017, a defesa do Estado Laico, muita gente não entendeu. O título um pouco mais longo tentou ser didático: “Independente de nossas crenças, nenhuma religião é Lei! Todas e todos por um Estado Laico.”

A importância de um Estado Laico é essencial não somente para a causa LGBT. Como criar leis que privilegiem as doutrinas de uma religião em prejuízo das demais? E porque impôr a verdade de uma religião para as demais religiões ou até mesmo para aqueles que não acreditam em nenhuma?

“Nossos principais inimigos hoje são os fundamentalistas religiosos, grupos de pessoas dentro de algumas religiões que insistem em nos condenar e retirar direitos já adquiridos. No Congresso Nacional, por exemplo, o debate sobre a criminalização da LGBTFobia é repleto de ataques de parlamentares da bancada religiosa e conservadora, muito dos quais utilizando-se de suas imunidades parlamentares para disseminar o ódio a uma parcela da população”, declarou Claudia Regina, presidenta da APOGLBT-SP.

É um pouco difícil de entender porque essas pessoas se mobilizam tão fortemente para prejudicar os direitos de outras, mas isso é uma realidade atordoante.

Leia mais sobre a justificativa do tema no site da APOGLBT

Parada do Orgulho LGBT de São Paulo: 2017
O tema da parada foi a defesa do Estado Laico, assunto para lá de relevante ao público LGBT

A história da parada LGBT de São Paulo

A primeira parada gay de São Paulo aconteceu em 28 de junho de 1997. Na época, foi chamada de parada do orgulho GLT – Gays, Lésbicas e Travestis. Foi só em 1999 que a sigla virou GLBT, incluindo os bissexuais. Mas em 2008, nova troca aconteceu para trazer maior visibilidade às lésbicas, e elas ganharam a dianteira, tornando-se finalmente a sigla que conhecemos hoje: LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros).

Parada do Orgulho LGBT São Paulo
Cartaz da primeira parada do orgulho LGBT de São Paulo, em 1997

Eu lembro da minha primeira parada, logo que me mudei para São Paulo (não me lembro o ano exato, mas faz muito tempo). Eu estava muito, mas muito feliz, de estar ali ocupando aquele espaço, de me sentir livre entre pessoas iguais a mim, lutando pelos mesmos direitos.

Mas ao mesmo tempo rolava um medo de aparecer na televisão, afinal eu ainda não tinha saído do armário para minha família. Quem diria que alguns anos depois eu ia estar justamente aparecendo na frente das câmeras e gravando até vídeos para o YouTube.

Parada do Orgulho LGBT São Paulo
Um dos meus cartazes (e temas) prediletos da parada LGBT, de 2004

Entrando para o Livro dos Recordes

O ápice dessa história aconteceu em 2006, quando a Parada LGBT alcançou a marca de 2,5 milhões de pessoas, conforme contagem da Polícia Militar. Com isso, a parada entrou para o Guiness Book como a maior parada do mundo.

A fama trouxe um público maior e popularizou a parada, que deixou de ser elitista e começou a atrair pessoas de todas as faixas etárias. O preconceito entre os próprios gays logo surgiu e os gays mais ricos se afastaram.

Mas confesso que o ambiente da parada também deixou de me agradar por um tempo. Muita bebida, algumas brigas e héteros assediando mulheres me afastaram do evento.

Parada do Orgulho LGBT de São Paulo: 2017
Multidão ocupa toda a Avenida Paulista: público estimado de 3 milhões de pessoas

A importância da Parada LGBT para São Paulo

O evento garantiu uma taxa de ocupação na rede hoteleira de 90% (hotéis da região da Avenida Paulista e centro), segundo dados da ABIH-SP – Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de São Paulo ABIH-SP. A parada teria movimentado R$ 2,4 milhões por dia.

Segundo pesquisa realizada pelo Observatório do Turismo, o gasto médio dos turistas que vem para São Paulo aumentou.  Saltou de R$ 1.272,00 para R$ 1.502,91, em gastos como hospedagem, alimentação, transporte ou lazer.

“Os números referentes à Parada do Orgulho LGBT em São Paulo só comprovam que grandes eventos são fundamentais na atração de um número cada vez maior de turistas para nossos destinos, movimentando, assim, a economia”, declarou Marx Beltrão, do Ministério de Turismo.

Parada é carnaval fora de época?

A crítica de que a parada perdeu o caráter político e virou apenas um carnaval fora de época, porém, é a mais frequente ao movimento.

“Falam do carnaval por causa das fantasias e da música, mas não é demérito nenhum. É uma das maiores manifestações populares que temos no país. Continuamos levantando nossa bandeira”, declarou Nelson Matias, um dos fundadores da parada em São Paulo.

Leia mais no artigo Como a Parada Mudou em 20 Anos.

Saiba mais sobre a Parada do Orgulho LGBT de 2018

Ordem dos Trios

A ordem dos trios elétricos foi a seguinte.

Entre os destaques, ficaram os trios da Skol, com a presença de Daniela Mercury (que já virou figurinha fácil em São Paulo) e da Uber, com a cantora Anitta. Anitta fez uma apresentação rápida, pois tinha outro compromisso, mal conseguimos vê-la.

O carro Divina Divas trouxe entre os destaques a maravilhosa Rogéria, além de outras divas travestis que participam do filme de Leandra Leal, com estréia prevista para 22 de junho de 2017 em São Paulo.

1 – Abertura: Tema 2017

2 – Famílias LGBT/Mães pela Diversidade

Parada do Orgulho LGBT de São Paulo: 2017

3 a 6 – Prefeitura

7 – Comerciários

8 – Skol

Parada do Orgulho LGBT de São Paulo: 2017
Daniela Mercury contagia o público com seus sucessos

9 – Lésbicas e Bi

10 – Gays e Bi

Parada do Orgulho LGBT de São Paulo: 2017
No trio Gays e Bissexuais

11 – Segmento TT

12 – Coletivos LGBT APEOESP/CUT

13 – Juventude

14 – Saúde HIV/Aids

15 – Governo SP

16 – Divina Divas

Parada SP: Parada do Orgulho LGBT de São Paulo
No carro Divinas Divas, filme de Leandra Leal, com a participação de Rogéria e outras divas travestis

17 – Artistas da Noite LGBT

18 – UBER

19 – Paz

Parada do Orgulho LGBT de São Paulo: 2017
Segurar a bandeira é uma das atrações imperdíveis para se fazer durante a Parada
Parada Orgulho LGBT de São Paulo
O grupo de jornalistas lutando contra a discriminação
Segurar a bandeira é uma das atrações imperdíveis para se fazer durante a Parada
Os funcionários do Google vieram unformizados
Parada Orgulho LGBT de São Paulo
Cleber agita a bandeira em um dos trios da Parada 2017

Conclusão

O evento foi lindo e o que mais nos chamou a atenção foi a organização de tudo, e também alguns detalhes customizados até então inéditos. Na Rua Augusta e na Rua da Consolação, as faixas de pedestre ganharam as cores do arco-íris e os relógios da Paulista também ganharam o colorido da Parada nos seus displays.

A Parada do Orgulho LGBT de São Paulo trouxe o mesmo clima de alegria e tolerância que reinou no carnaval de rua de São Paulo. Mas para quem ainda acha que sobrou festa e faltou engajamento, o tema do Estado Laico e os gritos de Fora Temer são a prova contrária. O público se mostrou engajado e considerando que somos 3 milhões de pessoas, é bom que a sociedade esteja atenta para temos a dizer.

Parada Orgulho LGBT de São Paulo
Com nosso amigo Marcelo na cobertura de um prédio na Avenida Paulista
Parada Orgulho LGBT de São Paulo
Nossa turma reunida para um selfie na Parada SP
Parada SP: Parada do Orgulho LGBT de São Paulo
Muitas cores também na virada para a Rua da Consolação

Leia também: Dicas de Turismo LGBT

Nota: Nossos agradecimentos especiais para a APOGLBT e para os proprietários do apartamento na Avenida Paulista que nos receberam super bem, com essa vista incrível para toda a Avenida Paulista. Também aos nossos amigos e padrinhos Marcial + Marcelo e Luiz + Anderson que nos acompanharam em trechos da parada (o Luiz também foi minha companhia na minha primeira parada LGBT). 

Tags:
share on:
Fabio Pastorello

Fabio Pastorello

Editor do Viagens Cine, fotógrafo e videomaker. Curte cinema e leva a vida e as viagens com toques de romance, drama e aventura. Formado em Letras, ex-bancário e muito mais feliz como blogueiro de viagens.

10 comentários

  1. Excelente…parabéns…o mundo precisa saber que aqui estamos todos lutando por um só objetivo FORA O PRECONCEITO…
    Muito bom poder ler uma materia tão bem escrita e com conteúdo.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.