Salar de Tara: O Passeio com Maior Altitude no Atacama

Salar de Tara: Passeio no Deserto do Atacama

Nosso carro segue para o Salar de Tara, um dos tours oferecidos no Deserto do Atacama. Certas vezes, os trajetos são tão importantes como os destinos.

É o caso do Salar de Tara. Não que o destino final desse passeio seja desinteressante. Pelo contrário, o lugar é o máximo. Mas rolou tanta coisa interessante antes de chegarmos lá, que é fácil concluir que o percurso foi tão incrível como seu destino.

Rolaram também alguns perrengues. Esse é o passeio em que se chega na maior altitude no Deserto do Atacama (excluindo-se aí os trekkings nos vulcões, que não podem ser considerados “passeios”). Chegamos até cerca de 4.800 metros de altitude.

As estradas e caminhos para o Salar de Tara revelaram lugares como os Monges de Pacana, o Salar de Águas Calientes e as Catedrais de Tara. Bora conhecer um pouco desses lugares?

Salar de Tara: Tour no Deserto do Atacama

Saiba como é o passeio com maior altitude no Deserto do Atacama (exceto os vulcões)

Salar de Tara: Passeio no Deserto do Atacama

Como Funciona o Passeio

7h da manhã e a van da FlaviaBia Expediciones passa em nosso hostal para nos buscar.

O veículo era grande e comportava até 12 pessoas, mas estávamos em um grupo de 10 viajantes. Logo que entramos, notamos que o pessoal já estava super entrosado e brincando. Não demorou muito para que a gente também ficasse tão amigos de todos, que saímos do passeio combinando jantar juntos e nos reencontrar no retorno para São Paulo.

Isso é bem legal nos passeios da FlaviaBia Expediciones. A agência trabalha com 100% de passageiros brasileiros. Não que os estrangeiros sejam proibidos, mas como o serviço da agência é oferecido todo em português, acaba atraindo mais os brazucas.

Os guias são chilenos mas falam português (ou portunhol, no final das contas todo mundo se entende). Nesse dia do Salar de Tara, nosso guia Manoel era bem simpático, solícito e tranquilo. Nada de corre corre nas paradas.

Café da manhã em frente ao Vulcão Licancabur

Salar de Tara: Passeio no Deserto do Atacama
Nosso café da manhã, preparado pela equipe da FlaviaBia Expediciones, foi montado em frente ao vulcão Licancabur

O café da manhã (sempre disponibilizado nos passeios da FlaviaBia Expediciones) acontece em frente ao Vulcão Licancabur.

Enquanto o pessoal tira fotos desse que é um dos vulcões mais emblemáticos do Deserto do Atacama (ele também é conhecido como vulcão do povo), a equipe da FlaviaBia organiza a mesa com vista para o vulcão.

Antes de fechar o passeio, vale dizer que a agência consulta todas as restrições alimentares. Em um dos passeios uma moça era alérgica a lactose e foi oferecido leite especialmente para ela.

O café da manhã é delicioso. Com pães quentinhos e croissants doces da Francheteria (a padaria mais famosa de San Pedro do Atacama). Também acompanham frutas, frios, doce de leite, sucos, leite, café, chá (inclui o chá de coca e rica rica, para quem quer amenizar os efeitos da altitude) e uma deliciosa barrinha de chocolate exclusiva da FlaviaBia Expediciones.  Ou seja, café da manhã pra começar bem o dia.

Cadê o banheiro?

Salar de Tara: Passeio no Deserto do Atacama
Um dos cenários no longo percurso até o Salar de Tara

Antes de fechar os passeios, todos os viajantes são advertidos de que o trajeto até o Salar de Tara é um dos mais complicados na questão “ir ao banheiro”. Para as mulheres, principalmente, é um perrengue.

E nosso grupo parou tantas vezes na estrada para ir no banheiro, que no final do passeio isso até virou piada. É que para minimizar os efeitos da altitude, é preciso beber bastante água.

E o banheiro, no caso, é no deserto mesmo, já que esse caminho não oferece nenhuma estrutura com banheiros construídos. É natureza, gente, e o banheiro inca era nossa opção. O pior é que muitas vezes os lugares são descampados e não há um espaço para se esconder. É preciso rolar um pouco de desprendimento e confiar que ninguém vai ficar olhando.

Para as mulheres, é importante levar papel higiênico e álcool gel (a FlaviaBia disponibiliza um kit bem legal para os clientes). Para os homens, levamos vantagem nessa hora e ir ao banheiro é mais tranquilo (exceto para quem quiser fazer o número 2).

Bora encarar a maior altitude do Atacama

Salar de Tara: Passeio no Deserto do Atacama
Um dos trechos de maior altitude no percurso até o Salar de Tara

O trajeto é um pouco demorado até a próxima parada, pois o Salar de Tara fica já perto da fronteira entre Chile, Argentina e Bolívia.

No caminho alcançamos a maior altitude em um passeio no Atacama (exceto os trekkings nos vulcões). São 4.800 metros e nosso guia mostra o ponto exato onde chegamos nessa altitude. Por lá, era possível encontrar gelo em alguns pontos da estrada. Viajamos no mês de setembro, finalzinho de um inverno rigoroso no Atacama.

As vicunhas, animas parentes das lhamas, são comuns nessa região de altitude.

Os efeitos dessa altitude podem ser mais um perrengue, então é preciso se manter hidratado e quem sabe apelar para um comprimido para dor de cabeça antes do passeio.

Mas esse ponto mais alto fica na estrada, e depois voltamos a diminuir a altitude (não muito) até nossa próxima parada.

Monges de Pacana e Reserva Nacional Los Flamencos

Salar de Tara: Passeio no Deserto do Atacama
As formas também chamadas de Monges de Pacana podem chegar até 40 metros de altura

Essa foi a primeira parada do tour até o Salar de Tara. Estacionamos em uma ampla área com algumas formações rochosas imponentes, chamadas de Monges de Pacana (também chamados de Moais de Tara). O nome seria decorrente das rochas lembrarem monges, mas para enxergar isso vale um pouco de imaginação.

De qualquer forma, o lugar é impressionante. Uma das formações rochosas, a Pedra do Índio, mede mais de 25 metros de altura e é a grande atração para as fotos. No cume da pedra, é possível ver a face de um índio (novamente, use a imaginação). Para aquela foto legal, a dica é fotografar alguém pertinho da pedra, para dar a noção de perspectiva.

No fundo da paisagem está o Salar de Águas Calientes I (há outros 2 salares com mesmo nome, o Salar de Águas Calientes II próximo ao Vulcão Lascar e o Salar de Águas Calientes III, no passeio até Piedras Rojas).

Salar de Tara: Passeio no Deserto do Atacama
Visual do Salar de Águas Calientes, que fica ao fundo dos Monges de Pacana

Pela área, existem alguns caminhos com altos e baixos e o carro faz um mini passeio com emoção entre as pedras.

Catedrais de Tara

Salar de Tara: Passeio no Deserto do Atacama
Catedrais de Tara trazem mais formações esculpidas no decorrer de milhares de anos

Nossa próxima parada é em um mirante espetacular, com vista para o Salar e para as Catedrais de Tara. As catedrais são formadas pelas cinzas deixadas por um vulcão há milhares de anos, durante uma de suas erupções.

O visual é de tirar o fôlego, e os guias adoram registrar fotos do pessoal usando o recurso panorâmico. Não esqueça de pedir uma foto para seu guia.

A essa altura do passeio, todo mundo estava bem amigo e uns tiravam fotos para os outros também.

Salar de Tara: Passeio no Deserto do Atacama
Um dos visuais do alto do Salar para as formações rochosas da região

Salar de Tara: parada para almoço

E partimos para a última parada, o lugar que dá nome ao passeio.

O Salar de Tara é um amplo alagado cercado de belas montanhas (trata-se da caldeira do Vulcão Vilama), com uma vegetação característica que faz a gente até esquecer que está no deserto. Está localizado a uma altura de 4.300 metros de altitude.

Salar de Tara: Passeio no Deserto do Atacama
Paisagem do Salar de Tara, ponto final de nosso tour

A área, que também faz parte da Reserva Nacional dos Flamencos, é bem preservada e os visitantes só podem caminhar nas áreas demarcadas.

Mas há vários pontos incríveis para registrar o lugar, seja do alto (de onde se tem uma visão da dimensão do lugar), como de sua base (de onde é possível ver a água e a vegetação mais de perto).

Nosso almoço foi em frente ao Salar de Tara, mas os guias têm autonomia para definir outros lugares, de acordo com as condições climáticas. Ninguém quer almoçar com uma ventania. Mas no nosso caso, como ventava pouco, foi por lá que os dois grupos da FlaviaBia Expediciones montaram uma mesa única para nosso almoço.

Salar de Tara: Passeio no Deserto do Atacama
Mesa montada para o almoço de dois grupos da FlaviaBia Expediciones
Salar de Tara: Passeio no Deserto do Atacama
Risoto de quinoa com frango foi o prato do dia, acompanhado de um bom Chardonnay

A comida estava deliciosa. Nesse dia provamos um risoto de quinoa com frango muito bem temperado, salada e uma sobremesa absolutamente deliciosa. Tudo acompanhado de vinho ou suco natural. E fica a dica hein, a gente abusou um pouco do vinho e na volta acabamos ficando com um pouco de dor de cabeça. Não abuse.

Em clima de uma grande família em uma mesa enorme, o almoço foi delicioso e terminou com chave de ouro nosso passeio.

Uma outra parada prevista é até a Lagoa Diamante, mas nosso grupo não fez essa parada. Confira como é a lagoa no blog Apure Guria.

Salar de Tara: Passeio no Deserto do Atacama
Parte de nosso grupo reunido: além de lugares, também conhecemos pessoas incríveis

Cuidados com a altitude

Depois é hora de voltar (se for o caso, tome mais um comprimido de dor de cabeça, porque na descida a altitude também abala).

Uma das passageiras passou mal e o guia Manoel deu completo auxílio com oxigênio até que ela melhorasse. Os guias são todos preparados para qualquer ocorrência nesse sentido.

Mas ela se recuperou logo e continuamos nosso retorno até San Pedro de Atacama. No caminho, mais algumas paradas para o banheiro inca, muitas piadas e diversão. E voltamos com a felicidade de, além de termos conhecido lugares incríveis, também termos feito grandes amizades.

Dicas Práticas

  • Prepare-se para o frio, esse foi um dos passeios com mais vento e maior sensação de frio de nossa viagem. Uma jaqueta corta-vento é essencial.
  • Leve também luvas, cachecol, gorro ou boné e óculos de sol. Mesmo que não haja necessidade de usar, é sempre bom ter esse itens na mochila.
  • Roupas de segunda pele também são recomendáveis, para conseguir suportar o frio intenso.
  • Como o passeio envolve muita altitude, leve bastante água para ingerir no percurso. A hidratação é importante para minimizar os efeitos da altitude.
  • Também é aconselhável deixar esse passeio para os últimos dias da viagem, por causa da altitude.
  • Por via das dúvidas, vale investir em um comprimido para dor de cabeça antes de começar o tour.
  • Não há banheiros em todo o trajeto. Leve papel higiênico e álcool gel.
  • Não é preciso levar comida: o café da manhã e almoço ficam sob responsabilidade da agência.
  • O uso de hidratante e protetor solar são essenciais nesse passeio.
  • Não há taxa de entrada para ir até o Salar de Tara. O único custo é o valor do passeio, fechado diretamente com a agência.
Salar de Tara: Passeio no Deserto do Atacama
Um brinde a esse passeio incrível no Atacama, mas é melhor não abusar do vinho por causa da altitude

FICHA TÉCNICA:

Tour: Salar de Tara
Direção: Deserto do Atacama, Chile
Produção: FlaviaBia Expediciones
Preço: CLP 90.000,00 por pessoa, inclui café da manhã e almoço – referência set/2017
Duração: 7h às 16h
Fotografia: Fabio Pastorello
O melhor: As paisagens dos Monges de Pacana e das Catedrais de Tara são impressionantes, mas o melhor é mesmo o almoço de frente para o Salar
O pior: O trajeto é longos e os efeitos de altitude podem castigar ainda mais o percurso. Ainda bem que a van era bem confortável.
Ano: 2017
País: Brasil
Avaliação: ★★★★

Confira nosso roteiro completo dessa viagem para o
Deserto do Atacama – Dicas e Roteiro de Viagem

Nota: A FlaviaBia Expediciones foi nossa parceira nessa viagem ao Deserto do Atacama. Mesmo os passeios sendo uma cortesia, nossas opiniões são sinceras e só compartilhamos experiências verdadeiras.

Deserto do Atacama - Roteiro de 7 Dias no Chile

Em Outros Blogs:

  • Salar de Tara: Passeio Surpreendente no Atacama, no blog Nós no Chile
  • Salar de Tara: Melhor Passeio no Deserto do Atacama? no blog Guia Mundo Afora
Tags:
share on:
Fabio Pastorello

Fabio Pastorello

Editor do Viagens Cine, fotógrafo e videomaker. Curte cinema e leva a vida e as viagens com toques de romance, drama e aventura. Formado em Letras, ex-bancário e muito mais feliz como blogueiro de viagens.

7 comentários

  1. Eu achei muito cênico o Salar de Tara, e suas fotos não são nada menos do que fenomenais. Excelente o relato! Fiquei curioso com o gelo em alguns pontos da estrada. Na época em que fui, não tinha nada disso. Valeu!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.