O que fazer na Europa: Dicas de Viagem e Roteiros Imperdíveis

O que fazer na Europa: Dicas e Roteiros de Viagem

O que fazer na Europa? Quais os melhores roteiros na Europa para quem tem 7, 15 ou até 30 dias para viajar pelo velho continente? Quantos dias ficar em cada lugar, onde ficar e como montar o roteiro dos sonhos por alguns dos destinos mais visitados do mundo? Essas são algumas dúvidas muito comuns na hora de organizar uma viagem.

Viajar para a Europa é sempre uma experiência enriquecedora, seja pela quantidade de países e culturas que é possível visitar em apenas algumas horas de distância (é tudo relativamente perto), seja pela beleza dos países visitados.

Por isso, já realizamos diversas viagens para lá. Nessa matéria, vamos reunir aqui algumas dicas e roteiros de viagem pela Europa e também todos os posts que você já encontra no blog. Os roteiros são um mix de viagens que já fizemos com outros planos que ainda desejamos fazer.

Entre os destinos já visitados estão: Portugal, Espanha, França, Mônaco, Itália, Suíça, Áustria, Bélgica, Holanda, República Tcheca, Grécia e Inglaterra. Mas infelizmente nem todas as viagens já conseguimos transcrever para cá.

De qualquer forma, se você tem alguma dúvida de como organizar seu roteiro ou sobre algum dos destinos que já visitamos, deixe um comentário no final dessa matéria que teremos prazer em responder. E confira todos os posts já divulgados, estão repletos de dicas e fotos incríveis.

O que fazer na Europa: Dicas de Viagem e Roteiros Imperdíveis

Roteiros de viagem na Europa: quantos dias ficar em cada destino e como montar o roteiro

O que fazer na Europa: Dicas e Roteiros de Viagem
Seja qual for seu roteiro na Europa, prepare-se para lugares cinematográficos

EUROPA DICAS

ESPANHA

FRANÇA

ITÁLIA

SUÍÇA E ALPES

FILMES

Salve esse Pinterest para consultar depois

Europa Dicas e Roteiros de Viagem - Guia Completo


1 – Europa: como montar o roteiro da viagem

O primeiro passo do planejamento de uma viagem (no caso da Europa, eu acho o mais difícil) é definir o roteiro.

Quais lugares visitar, que cidades, quantos dias ficar em cada lugar, para mim é sempre complicado, pois a vontade é de conhecer tudo. Confira a seguir algumas dicas para organizar melhor essa viagem.

Passagem aérea: pesquise com múltiplos destinos

  • Ao acessar os sites de pesquisa de passagens aéreas como o Decolar.com ou Skyscanner, você pode pesquisar os preços e diferentes possibilidades de roteiros.
  • Se você tiver flexibilidade de datas, fica mais fácil procurar as passagens mais baratas. No site do Skyscanner, por exemplo, você consegue verificar todos os preços em um determinado mês e, assim, escolher o dia que tem a tarifa é mais barata.
  • Exceto se a sua viagem for pequena, procure escolher destinos de chegada e partida diferentes. Por exemplo, já fizemos roteiro chegando em Paris e partindo de Roma. Fica um pouco mais caro do que uma passagem ida e volta simples, mas no final das contas sai mais barato (e prático) do que ter que voltar para o ponto de partida no final da viagem.
  • A opção de Múltiplos Destinos também é bem interessante. Dessa forma, você pode acrescentar outros voos no meio da viagem e conseguir tarifas melhores.
  • De qualquer forma, faça muitas simulações até encontrar a opção que melhor se encaixa no seu roteiro e no seu orçamento.
Créditos da Imagem: Shutterstock.com
A montagem do roteiro de viagem na Europa começa na hora de comprar a passagem aérea. Créditos da Imagem: Shutterstock.com

Viajar de trem ou passagens aéreas low-cost

  • Mesmo que você já tenha comprado sua passagem do Brasil para a Europa, é preciso providenciar os transportes internos.
  • Pesquise bem, pois nem sempre a viagem de trem é mais barata do que uma passagem aérea. Mas no geral, os trechos menores são mais vantajosos de trem.
  • E como não é preciso considerar o deslocamento até o aeroporto (quase sempre distantes do centro), o trem pode ser uma opção mais prática e rápida.
  • Os valores cobrados pelas viagens de trem variam muito, de acordo com tipo de trem ou até de acordo com a antecedência que a passagem é comprada. Para valores mais baratos, consulte trens regulares, em que não há marcação de assento. Em alguns casos, pode ser necessário ainda fazer baldeações.
  • Os trens na Europa são extremamente pontuais, o que facilita bastante a vida do viajante. Evite atrasos.

Dicas na hora de comprar a passagem aérea low-cost

  • Para comprar passagens aéreas baratas, consulte sites de pesquisa como o Skyscanner ou o Edreams. No caso do Skyscanner, ele apenas apresenta valores mas não permite a compra. O Edreams oferece a possibilidade de compra, mas fique atento às taxas que serão cobradas. Talvez fique mais em conta comprar diretamente na companhia aérea.
  • Como são empresas estrangeiras, você precisa ter um cartão de crédito internacional.
  • Apesar da Ryanair ser uma companhia irlandesa de baixo custo (low-cost), o site é em português, o que facilita a nossa vida. Mas não se engane, a cobrança é realizada em euros e incide IOF.
  • Para comprar um vôo na Ryanair, a empresa ainda nos deu a opção de converter o valor para reais e informava a taxa de conversão. Achei a taxa vantajosa, mas a operadora do meu cartão de crédito não permitiu essa operação. Só conseguimos efetivar a compra com o pagamento na moeda internacional, que posteriormente seria convertido pelo meu cartão de crédito em reais. Portanto, certifique-se de desativar a opção de conversão da moeda, caso contrário você não conseguirá finalizar a compra.
  • Assim como a Ryanair, a Vueling também tem o site em português. É uma empresa low-cost espanhola. Mas pela Vueling, só consegui efetuar a compra com pagamento via Paypal.
  • Finalmente, ainda é possível consultar voos baratos pela Easyjet. A empresa também possui site em português.
  • No processo de compra de empresas low-cost, você pode selecionar também se deseja assento marcado. Se escolher essa opção, o preço aumenta.
  • Outra opção que precisa ser verificada é a bagagem. Os limites da bagagem são inferiores aos praticados em vôos normais (e eles são bastante rigorosos em relação a isso), portanto quase sempre é preciso pagar a mais se você pretende despachar bagagens. É também necessário informar o peso da bagagem (o preço pode variar de acordo com tamanho e peso da mala a ser despachada).

Não considere o dia da chegada ou o dia da partida

  • Quando for identificar a quantidade de dias que você terá para conhecer um destino, ignore os dias de trânsito.
  • Chegar de uma viagem é sempre cansativo. Pode ser que você dê sorte e consiga fazer alguma coisa no dia da chegada, mas não dá para contar com eles.
  • O dia da partida também deve ser ignorado: preparar as malas, ir até o aeroporto (chegar com antecedência), tudo isso consome tempo.

Para capitais, considere pelo menos 2 dias inteiros (excluído o dia da chegada e da partida) para conhecê-las

O que fazer na Europa: Dicas e Roteiros de Viagem
Na hora de pensar quantos dias em cada cidade, considere também os passeios bate-volta
  • Cidades como Paris e Londres consomem facilmente 5 a 7 dias. Isso porque além do que você terá para conhecer nas próprias cidades (que já não é pouco), existem sempre atrações próximas de bate e volta, como o Palácio de Versailles em Paris ou a cidade de Windsor em Londres, que ocupam 1 dia inteiro de viagem.
  • Madri e Barcelona também possuem vários bate-voltas nos arredores, como Toledo e Segóvia em Madri ou Sitges e Montserrat em Barcelona.

Na hora de montar o planejamento, identifique os horários de transferência entre as cidades

  • Já planejamos ir de Barcelona a Sevilha através de um voo low-cost, só que o melhor preço era em um horário bem tarde. Resultado: chegamos de noite em Sevilha, o que reduziu ainda mais o nosso tempo para conhecer essa cidade.
  • Novamente fica a regra: não considere os dias de trânsito e, no caso de considerar, verifique antecipadamente quais serão os horários de vôos/trens/ônibus.

Coloque tudo em uma planilha 

  • Organizar a viagem em uma planilha ajuda a não se confundir, por exemplo, na hora de fazer as reservas e eventualmente acabar deixando alguma noite sem hospedagem.
  • Durante o planejamento, também identifico o status de cada trecho da viagem, ou seja, se determinado destino ou transporte já está reservado ou comprado (OK), ou ainda precisa ser adquirido (PENDENTE).

Se os trajetos forem distantes, você pode também considerar trocar uma noite em um hotel por uma viagem de trem

  • Ao trocar uma noite em um hotel por uma viagem de trem, você economiza uma diária de hospedagem e ainda não perde tempo fazendo viagens longas durante o dia.
  • No entanto, essa opção só é recomendável para quem consegue dormir bem durante as viagens.
  • Já aconteceu de adotarmos esse esquema e no dia seguinte acordamos podres e mal conseguimos aproveitar o dia. Então é uma opção que costumo evitar, ou reservar no dia da chegada algumas horas de descanso.

2 – Como encontrar dicas e informações em sites e blogs de viagem

Para montar um roteiro, uma boa dica é buscar informações na internet e em guias impressos.

Os guias impressos têm a vantagem da credibilidade, quase sempre as informações que se encontra em livros como os da Lonely Planet e Guia Visual da Folha são confiáveis e bem redigidas. Eles são ideais para obter informações históricas, geográficas e algumas dicas sobre os destinos.

Mas quem não quer gastar com os guias, pode encontrar muitas informações confiáveis na internet.

Pesquisa no Google e em Blogs de Viagem

  • Em alguns sites da internet já é possível encontrar bastante informação relevante. Na pesquisa do Google você encontra muita coisa. Mas também pode vir muita informação que não atende a sua necessidade.
  • Os blogs de viagem são uma excelente fonte de pesquisa.

Como Identificar se um Blog de Viagem é Confiável

Mas será que todos os blogs de viagem possuem informações confiáveis? Veja algumas dicas para identificar se a informação de um blog é confiável ou não, e se o perfil do viajante se encaixa com o seu.

  • O que fazer na Europa: Dicas e Roteiros de ViagemVerifique se o blog está associado a alguma entidade de classe. O Viagens Cinematográficas, por exemplo, é filiado a RBBV – Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem. O processo de filiação é rigoroso, o que garante que os blogs associados atendam a critérios de ética em suas condutas e práticas.
  • Comece a ler um dos posts e verifique o conteúdo e o estilo do viajante. Se você é mochileiro, pode ser que um blog de viagens de luxo não seja adequado ao seu perfil. Se você é um viajante LGBT, acompanhar blogueiros do mesmo segmento ajuda a identificar destinos receptivos. Se você quer saber um pouco mais sobre como é o perfil do nosso blog, clique aqui.
  • Será que o blogueiro realmente visitou o destino? Quando você começa a ler, também consegue identificar se as informações são resultado de uma viagem real do blogueiro, ou simplesmente ele fez um corte e cola de outras informações coletadas na net.
  • Ninguém quer basear sua viagem num blog de uma pessoa que pode nem ter ido efetivamente ao lugar sobre o qual escreveu. Acredite, isso acontece.
  • No site da RBBV você encontra tudo o que os blogueiros postaram sobre determinado destino. Eu sempre entro lá antes das minhas viagens. Veja no menu superior, separado por destinos.
  • Consultar blogs de viagem é uma das melhores formas de ter uma noção real de como é a viagem que você pretende fazer. O que fazer, quantos dias ficar, onde ficar, entre outras dúvidas comuns durante o planejamento são respondidas nos blogs. E o melhor. Se você tiver alguma dúvida, é só deixar um comentário no blog. Em geral, os blogueiros têm o maior prazer de ajudar outros viajantes e irão responder o seu comentário brevemente.

3 – Como reservar os hotéis

O que fazer na Europa: Dicas e Roteiros de ViagemPara reservar os hotéis, eu sempre verifico sites como o Booking.com ou o TripAdvisor para consultar preços, disponibilidade e avaliação das hospedagens.

Consulta de Hotéis no Booking

  • Booking.com permite uma boa pesquisa de hotéis. Você pode filtrar por preço, tipo de hospedagem (hotéis, albergues, pousadas), serviços (exemplo: filtrar somente opções com piscina), comodidades (exemplo: filtrar somente quartos com ar condicionado), etc.
  • A quantidade de hotéis é sempre grande, então eu utilizo a classificação, seja pela avaliação dos hóspedes (no Booking.com cada usuário, após a hospedagem, classifica como foi sua experiência no hotel e conta um pouco de como foi a hospedagem), preço ou quantidade de estrelas.
  • Cada hotel recebe uma nota, que se encontra no lado direito da tela.
  • Ler as avaliações de outros hóspedes é fundamental. Detalhes que podem te incomodar são identificados aqui, como por exemplo: wi-fi não funciona bem nos quartos, mau atendimento dos funcionários, barulho interno, etc.
  • As pessoas às vezes implicam com detalhes que para mim são menos relevantes, por isso avalie o quanto as reclamações te incomodam ou não.

Consulta de Hotéis no TripAdvisor

  • Outra forma de consulta de avaliações é o TripAdvisor. A diferença é que no TripAdvisor qualquer um pode avaliar uma hospedagem, no Booking apenas quem fez a reserva pelo Booking e ficou realmente hospedado faz a avaliação.
  • Ou seja, as opiniões do TripAdvisor podem não ser tão confiáveis como as do Booking. De qualquer forma, ou consulto os dois.
  • No TripAdvisor acho interessante consultar o ranking do hotel (#69 de 520 hotéis de Barcelona, por exemplo). Você verifica qual a posição do hotel entre os demais do destino. Se ele estiver entre os primeiros, mesmo que uma ou outra pessoa tiver avaliado o hotel indevidamente, já é um bom indício.
  • Outro critério importante é verificar a quantidade de avaliações (reviews). Não dá para confiar muito se apenas 10 pessoas tiverem avaliado um hotel.
O que fazer na Europa: Dicas e Roteiros de Viagem
Para escolher sua hospedagem na Europa, nós recomendamos pesquisar no Booking.com

Como Reservar pela Internet

  • A reserva é simples, você faz um cadastro e coloca o número do seu cartão de crédito.
  • Identifique se a reserva é com cancelamento grátis, nesse caso a cobrança será efetuada pelo hotel somente quando você estiver lá.
  • O Booking.com não faz cobranças, ele apenas repassa o número do cartão para o hotel.
  • Caso a reserva não seja sw cancelamento grátis, eles podem cobrar antecipadamente (para esses casos, em geral há desconto), ou seja, o valor é cobrado no cartão de crédito no ato da reserva.

Reserva no Hostelword

  • Já utilizamos o Hostelworld em busca de hospedagens mais em conta, onde conseguimos uma hospedagem em Lisboa que não encontrava pelo Booking.com. Atenção: na pesquisa, o Hostelworld indica o valor por pessoa, e não por quarto.
  • A desvantagem do Hostelworld é que eles cobram uma taxa de depósito de 15% do valor da hospedagem.
  • Se você cancelar a reserva, perde o valor do depósito.
  • Mediante uma taxa adicional, você pode optar para que o valor do depósito seja flexível, ou seja, em caso de cancelamento, você pode reverter aquele valor para uma nova reserva, em qualquer outra hospedagem. Mas em nenhum caso o valor do depósito é devolvido para você, em caso de cancelamento.

O QUE FAZER NA EUROPA: Roteiros de Viagem

1 – Portugal e Espanha

  • Se você tem 10 dias de viagem, reserve somente para as principais cidades: Madrid, Barcelona ou Lisboa. Pelo menos 5 dias para cada uma dessas cidades é o ideal.
  • Se você tem 15 a 20 dias de viagem, pode fazer as três cidades acima ou focar somente em um dos países: Portugal ou Espanha. Caso opte pela Espanha, vale a pena incluir a região de Andaluzia. Se a sua escolha for Portugal, divida os dias entre Lisboa, Porto e Algarve.
  • Se você tem 30 dias de viagem, pode explorar os dois países: Portugal + Espanha. Eu optaria por cerca de 20 dias na Espanha e 10 dias em Portugal.
E com 30 dias de viagem, você só conseguiu visitar o básico, que são as cidades mais importantes. Mas existe uma série de outros caminhos e lugares encantadores a serem visitados, que iremos percorrer em futuras viagens mais “profundas” por esses dois países.

O que fazer na Espanha

O que fazer na Europa: Dicas e Roteiros de Viagem
Barcelona e Madrid são duas cidades que não podem ficar de fora de um roteiro na Espanha

Mesmo que não seja banhada pelo Mediterrâneo, não dá para desprezar alguns dias em (1) Madrid.

A cidade de Madrid é um charme só e tem alguns dos melhores museus do mundo.

A partir de Madri também rolam algumas viagens de bate-volta, Toledo e Segóvia são imperdíveis. Reserve pelo menos 5 dias para Madrid.

Madrid em 7 Dias

O roteiro a seguir sugere algumas atividades em Madrid. Sempre colocamos em ordem de prioridade, então caso não tenha 5 dias na cidade, pode descartar os últimos dias listados.

Depois de explorar Madrid, pegamos um trem para (2) Barcelona. O que Madrid tem de histórico e sofisticado, Barcelona tem de moderno. Barcelona é bem mais cara e turística do que Madrid, prepare-se. Reserve também pelo menos 5 dias.

Se estiver afim de conferir praias, Barceloneta e Sitges são duas praias bem emblemáticas na região.

Barcelona em 7 Dias

  • Dia 1: Chegada em Barcelona
  • Dia 2: Las Ramblas, Passeio de Grácia e Bairro Gótico
  • Dia 3: Montjuic
  • Dia 4: Gaudí: La Pedrera, Casa Batló, Sagrada Família e Parc Guell
  • Dia 5: Bate-volta até Sitges ou até Montserrat
  • Dia 6: Praias de Barcelona
  • Dia 7: Transporte para Sevilha

Andaluzia em 3 Dias

Para quem segue rumo a Portugal, continue de Barcelona para a região da Andaluzia, na Espanha. Existem várias cidades encantadoras como Córdoba e Granada, mas a principal é (3) Sevilha.

Não há opção de transporte direto de Barcelona para Sevilha de trem, então tivemos que pegar um voo low-cost. Outra opção seria retornar a Madrid e de lá pegar um trem para Sevilha, opção que demanda bem mais tempo.

A Andaluzia rende muito mais do que apenas 3 dias e tem destinos muito incríveis além de somente Sevilha. Mas na nossa viagem, só conseguimos ficar mesmo em Sevilha, devido ao roteiro enxuto. Caso queira deixar mais tempo para a região (ela merece), considere também fazer paradas em Córdoba, Málaga ou Granada.

De Sevilha, é possível pegar um ônibus para o Algarve, em Portugal ou, obviamente, fazer a viagem de carro.

Para alugar um carro, sempre utilizamos os serviços da Rentcars. Fizemos várias pesquisas e os preços da Rentcars foram os mais baratos que encontramos. O site é um consolidador de preços, onde você faz a pesquisa entre diversas companhias e encontra a que se adequa melhor a sua necessidade.

A vantagem da Rentcars, além do preço, foi o pagamento em reais e sem IOF. Em tempos de oscilação de moeda, a melhor coisa que fizemos foi ter pago essa dívida antecipadamente.


O que fazer em Portugal

O que fazer na Europa: Dicas e Roteiros de Viagem
A Praia da Dona Ana, em Lagos, é uma das mais famosas do Algarve, sul de Portugal

O (4) Algarve pode ser explorado através de diversas cidades.

Nós escolhemos Albufeira, mas o destino da moda parece ser mesmo Lagos, onde se encontra uma praia que foi considerada a praia mais linda do mundo.

Algarve em 7 Dias

Nós não ficamos 7 dias no Algarve, apenas 3 dias. Foi o suficiente apenas para conhecer as praias de Albufeira e Lagos. Se puder, aumente seus dias na região, que vale super a pena, com paisagens cinematográficas.

Lisboa em 7 Dias

Do Algarve, é fácil pegar um ônibus ou trem até (5) Lisboa e explorar a capital.

Assim como Madrid, além de conhecer Lisboa, você também pode conferir bate-voltas como Sintra e Cascais. Cidades como Óbidos, Alcobaça e Fátima também são opções. Por isso, novamente não programe menos do que 4 dias.

A cidade de (6) Porto, mais ao norte de Portugal, é um destino considerado imperdível. Ainda não conhecemos.


2 – Suíça em 7 dias

A Suíça é um país encantador. Minha primeira viagem em 2008 foi incrível, mas estava sozinho. Por isso em 2010 voltei com o Cleber e nosso amigo Alex para apresentar algumas das belezas da região.
  • A Suíça combina com destinos próximos, como a França, a Áustria e a Itália.
  • Se você tem 7 dias de viagem: reserve apenas para a Suíça. Lucerna, Interlaken e Zermatt (dois dias em cada) são boas opções.
  • Se você tem 15 a 20 dias de viagem, pode pensar em incluir outro país. Em 2008, eu casei Suíça com a Áustria e em 2010 também rolou dobradinha com a Áustria e com a França. São casamentos perfeitos.
  • Se você tem 30 dias de viagem, reserve pelo menos 10 dias para a Suíça e inclua países como a Alemanha, Áustria, França, Itália ou República Tcheca.

O que fazer na Suíça

O que fazer na Europa: Dicas e Roteiros de Viagem
A Suíça é a terra de paisagens tão surreais que parecem papel de parede de computador

O aeroporto de embarque para a Suíça é o de (1) Zurique, apesar da capital do país ser Berna.

As cidades são relativamente próximas e com excelente serviço de trem, o que até permitiria bate-voltas para Berna ou Lucerna a partir de Zurique, mas o melhor mesmo é montar base em cada uma das cidades.

(2) Lucerna é uma das melhores bases para explorar a região.

A locomoção de trem entre as cidades é a melhor opção. Fique atento para os trajetos e suas paisagens belíssimas.

O ponto alto da Suíça, na minha opinião, é o Jungfraujoch, conhecido como o Topo da Europa. Para conhecê-lo, hospede-se em (3) Interlaken ou ainda é possível através de um bate-volta a partir de Lucerna (mais fica um pouco cansativo).

Apesar de um pouco fora de mão, (4) Zermatt é a cidade mais encantadora para mim da Suíça, muito romântica e também onde você irá encontrar a montanha mais fotografada do mundo: o Matterhorn (famoso na embalagem do chocolate Toblerone).

De Zermatt, um passeio de trem famoso leva até a estação de ski famosa de St. Moritz. É o (4.1) Glacier Express, reserve com antecedência. Outra opção é seguir para (5) Genebra e começar um roteiro pela França.

  • Dia 1: Chegada em Zurique
  • Dia 2: Lucerna
  • Dia 3: Interlaken e Jungfraujoch
  • Dia 4: Zermatt
  • Dia 5: Zermatt
  • Dia 6: Glacier Express ou Genebra
  • Dia 7: Partida para um roteiro na França ou retorno para Zurique

Chamonix Mont-Blanc

Apesar de não estar na Suíça, também adoramos conhecer a região do Mont Blanc, que tem tudo a ver com os Alpes Suíços, aliás a região fica bem na divisa entre a França, Suíça e Itália.

De Genebra (Suíça) pegamos uma van para (6) Chamonix-Mont-Blanc, onde é possível pegar um teleférico e fazer um passeio incrível no alto da montanha.


3 – França em 7, 15 ou 30 Dias

15 dias para explorar a França é bem pouco. Mas já é um começo. Se tiver 30 dias, melhor. Há belezas incríveis nesse que é um dos meus países prediletos na Europa.

  • A França combina com destinos próximos como Espanha, Bélgica, Holanda ou Itália. Já fizemos um roteiro incrível começando em Paris e terminando em Roma, foi cinematográfico.
  • Se você tem 7 dias de viagem, nem precisa pensar muito: reserve todos os dias para Paris. Acredite, 7 dias podem ser até pouco para explorar a cidade luz.
  • Se você tem 15 dias de viagem, melhor. Combine os 7 dias em Paris com outras regiões incríveis como o Vale do Loire (região dos castelos, que demanda no mínimo 4 dias). Ou combine Paris com 7 dias na região da Provence, provavelmente a região mais linda da França.
  • Se você tem 30 dias de viagem, que delícia. Você pode dividir sua viagem em quatro regiões principais: Paris, o norte da França, a parte central (Vale do Loire e Lyon) e o sul da França.

O que fazer na França

O que fazer na Europa: Dicas e Roteiros de Viagem
Paris possui inúmeras referências cinematográficas, como o famoso filme “O Destino Fabuloso de Amélie Poulain”

Comece em (1) Paris. Aqui no blog você encontra o que fazer em Paris em detalhes, bairro a bairro. Conhecer a Cidade Luz demanda tempo, pelo menos 7 dias de viagem.

As inspirações cinematográficas de Paris são inúmeras, mas em nossa viagem resolvemos destacar “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain”, “Meia Noite em Paris” e “Antes do Pôr do Sol”, todos filmes encantadores.

Em um dos dias, marcamos um encontro com a querida Martinha Andersen, do Viajoteca, que participou de um dos momentos mais únicos da viagem, o nosso pedido de casamento.

Outro brasileiro que encontrou conosco por lá foi o Luiz da empresa França entre Amigos, especializada em transfers e passeios nos arredores da França. É uma ótima opção para fechar o transporte na chegada em Paris.

Você pode optar por fazer alguns passeios bate volta a partir de Paris: Giverny e Versailles são os mais próximos. Existem passeios para o (2) Mont Saint-Michel e para o (3) Vale do Loire, mas são passeios demorados e cansativos para fazer em apenas 1 dia. Se puder, opte por pernoitar nesses destinos.

Paris em 7 dias

  • Dia 1: Chegada em Paris + Transfer até o Hotel + Passeio por Montmartre
  • Dia 2: Giverny e os Jardins de Monet + Museu Marmottan + Arco do Triunfo 
  • Dia 3: Roteiro Invalides e Torre Eiffel + Moulin Rouge
  • Dia 4: Roteiro de Museus Gratuitos em Paris por Viajoteca + Passeio de Barco pelo Rio Sena
  • Dia 5: Castelo de Versailles + Tuilleries + Pôr do Sol às Margens do Rio Sena
  • Dia 6: Roteiro de Museus + Ile de La Cité
  • Dia 7: Partida de Paris

Roteiros em Paris: O que fazer em 3, 5 ou 7 dias

De Paris, você pode optar por pegar um trem ou avião para (4) Lyon (centro da França) ou direto para Avignon, Aix-en-Provence ou Nice, no sul da França.

O trem TGV faz o trajeto rapidinho, mas nas nossas pesquisas, sempre acabamos encontrando passagens aéreas baratas, seja pelas companhias low-cost ou até pela própria Air France.

Sul da França de carro

O que fazer na Europa: Dicas e Roteiros de Viagem
Nice é uma das principais bases para conhecer o Sul da França

Para explorar a Provence, nós levamos 8 dias e escolhemos duas bases: (5) Aix-en-Provence e (6) Nice.

Na primeira, exploramos a parte mais rural, com as cidades medievais e os campos de lavanda, por exemplo. Em Nice, a pegada é mais praia e o encontro com o mar do Mediterrâneo. Tudo lindo de morrer.

Para conhecer a Provence, um carro é bastante necessário. Apesar de algumas cidades serem servidas de transporte público (ônibus ou trem), o grande encanto dessa viagem foram os campos de lavanda e as cidades pequenas e medievais (no alto de montanhas e cercada de muralhas), lugares que você não alcança facilmente sem um automóvel.

Quem assistiu o filme “Um Bom Ano” de Ridley Scott, deve lembrar do personagem de Russell Crowe dirigindo um carro bem pequeno pelas ruas da Provença.

Provence em 7 Dias

Segue a seguir o nosso roteiro na Provença. No passeio em Aix-en-Provence, contamos com a companhia super especial da Natália Itabayana, do Destino Provence.

  • Dia 1: Chegada de avião em Marselha
  • Dia 2: Aix-en-Provence
  • Dia 3: Arles + Avignon + Le Baux de Provence
  • Dia 4: Luberon
  • Dia 5: Calanques de Cassis
  • Dia 6: Marselha
  • Dia 7: Valensole + Moustiers-Sainte-Marte + Gorges du Verdon

Os lugares do último dia fazem parte do trajeto de carro até a Côte d’Azur.

Provence – Dicas de Viagem: Roteiro no Sul da França

O que fazer na Europa: Dicas e Roteiros de Viagem
Estar no meio das plantações da Provence, como a de lavanda, é um espetáculo

Nossa viagem de carro de Aix-en-Provence para Nice durou muito mais do que as 4 horas indicadas no mapa abaixo. Isso porque aproveitamos para fazer paradas no caminho, entre elas em Gorges du Verdon, um desfiladeiro cinematográfico banhado por águas de um tom esverdeado impressionante.

Depois da passagem por Verdon, ainda pegamos uma estrada impressionante, passando pelos Alpes da região da Alta Provença. A estrada é sinuosa e bastante cansativa, vale mencionar.

O percurso diretamente de Marselha ou Aix-en-Provence para Nice é bem mais curto e pode ser percorrido em cerca de 2h. Mas o desvio por Valensole e Gorges du Verdon vale super a pena.

Riviera Francesa em 7 dias

  • Dia 1: Chegada em Nice
  • Dia 2: Nice
  • Dia 3: Saint-Jean-Cap-Ferrat + Éze
  • Dia 4: Cannes + Grasse + Saint-Paul de Vence
  • Dia 5: Mônaco
  • Dia 6: Mônaco
  • Dia 7: Retorno para Paris ou começar roteiro na Itália

Apesar de termos conhecido com um pouco mais de dinamismo a região, conseguimos visitar todos os pontos que queríamos, exceto Saint-Tropez.

A base ideal é a cidade de Nice (onde também fica o Aeroporto de entrada da Riviera Francesa).

Também adoramos ficar hospedados em (7) Mônaco, que vale conhecer e ficar além de um simples bate-volta. Hotéis luxuosos e restaurantes estrelados recebem os viajantes que gostam de ter experiências de alto nível.

Riviera Francesa – Dicas e Roteiro de Viagem


4 – Itália em 7, 15 ou 30 dias


Montar um roteiro na Itália requer um pouco mais de tempo. Eu diria que o país rende uma viagem exclusiva de 30 dias, com tantas regiões incríveis e famosas para conhecer. Mas vamos lá tentar encaixar no seu cronograma.
  • Se você tem 7 dias de viagem: concentra 5 dias em Roma e pode reservar 2 dias para conhecer a Toscana, com base em Florença.
  • Se você tem 15 dias de viagem: além dos 5 dias em Roma, pode ampliar sua viagem na Toscana e ficar 7 dias por lá. E ainda dá tempo de dar um pulinho de 2 dias em Veneza.
  • Se você tem 30 dias de viagem: aí sim vai dar para conhecer todas as regiões mais interessantes da Itália, como Roma, Toscana, Veneza, Cinque Terre e Costa Amalfitana. Ainda só para ficar no básico, pois vai dar vontade de ir também para a Sardenha, Ligúria, Milão ou ao sul da Itália.

O que fazer na Itália

O que fazer na Europa: Dicas e Roteiros de Viagem
Veneza e seus famosos canais é um dos destinos que não podem ficar de fora de um roteiro na Europa

Um roteiro cinematográfico pela Europa não pode deixar de fora (1) Veneza. Apesar de ficar um pouco fora de mão, incluímos ela no roteiro, inspirados pelas situações cômicas de Woody Allen tentando conquistar Julia Roberts em “Todos Dizem Eu Te Amo”.

Como já mencionamos, nossa viagem começou na França e terminou na Itália. Para não ter que devolver o carro em um país diferente e pagar uma taxa de devolução muito cara, optamos por devolver o carro alugado em Nice e pegamos um vôo da Easyjet até Veneza.

Veneza em 3 dias

  • Dia 1: Chegada em Veneza
  • Dia 2: San Marco, Dorsoduro e Rialto
  • Dia 3: Murano, Burano, San Giorgio Maggiori e San Polo

Apesar de muito comentadas e bonitinhas, eu particularmente não acho imperdível a visita às ilhas de Murano e Burano. Se preferir, fique mais tempo curtindo Veneza que eu acho melhor negócio.

No trajeto para a região de Cinque Terre, nosso próximo destino na Itália, passamos por (2) Verona, que também faz parte da região do Vêneto, assim como Veneza. Um bate-volta a partir de Veneza também é super possível.

Verona e Lago di Garda

Verona é uma cidade linda, vale peno menos dar uma passada para conhecer a Casa de Julieta, com a referência cinematográfica do filme “Cartas para Julieta”.

Nossa intenção era alugar um carro em Veneza mesmo, mas como não havia carros automáticos disponíveis, acabamos retirando o carro em Verona.

Para tanto, pegamos um trem de Veneza (estação Mestre, onde estávamos hospedados) até Verona. Os trens regionais (mais baratos e sem necessidade de reserva) levam cerca de 1h15.

Em Verona, pegamos o carro no aeroporto, alugado através da Rentcars e antes de partirmos para nossa próxima base, ainda passamos na belíssima região de Sirmione, quase na divisa entre as regiões do Vêneto e da Lombardia.

Sirmione e o Lago di Garda eram lugares que não estavam no nosso roteiro (nem no nosso conhecimento, eu nunca tinha ouvido falar). Por indicação de um amigo acabamos incluindo e adoramos.

Para quem gostar de curtir melhor esses lugares, talvez valha a pena passar uma noite em Verona ou ficar alguns dias e conhecer melhor a região do Lago di Garda. Nesse roteiro acho que não caberia, mas numa próxima viagem irei explorar melhor o norte da Itália.

Cinque Terre em 1 dia?

Você pode imaginar o quanto foi corrido conhecer as (3) Cinque Terre em um só dia (Riomaggiore, Manarola, Corniglia, Vernazza e Monterosso).

Posso dizer que foi quase um tira-gosto, embora acredito que tenhamos conhecido o básico de cada uma delas. E sim, conferimos as cinco.

Mas obviamente não é tempo suficiente, e ficou faltando a linda Portovenere, que apesar de não fazer parte das 5 Terre, por muitos é tão imperdível quanto as demais.

Nossa base foi La Spezia, opção unicamente por critérios econômicos, já que reservamos os hotéis em cima da hora e os preços que encontramos nas Cinque Terre estavam muito caros. Como estávamos de carro, também achei que seria mais fácil estacionar o carro em La Spezia do que nessas cidadezinhas debruçadas sobre o mar.

Fiquei encantado com Monterosso e gostaria de ter ficado hospedado por lá. Nesse caso, acredito que + 1 dia para as praias de Monterosso e + 1 dia para incluir Portovenere seriam os ideais.

Toscana em 7 Dias

O que fazer na Europa: Dicas e Roteiros de Viagem
Explorar as pequenas cidades e estradas é um dos programas imperdíveis na Toscana

Uma proposta bem legal na Toscana é explorar a área mais rural, as cidades pequenas, as estradas, os lugares mais pitorescos. Aquela mesma do filme “Sob o Sol da Toscana”, rodado na maior parte na cidade de Cortona.

Alugar um carro para essa parte do roteiro na Toscana é essencial. Caso você esteja sem carro, aposte apenas nas cidades maiores, como Florença, Pisa, Lucca e Siena, todas acessíveis através de viagens de trem.

Há locações de “Cartas para Julieta” também por aqui, como a vinícola que visitamos em companhia da incrível Deyse Ribeiro do Passeios na Toscana, que trabalha como guia turística na região.

  • Dia 1: Chegada na Toscana
  • Dia 2: Lucca e Pisa
  • Dia 3: Florença
  • Dia 4: Siena
  • Dia 5: Volterra, San Gimminiano e Siena
  • Dia 6: Montalcino, Vale d’Orcia e Montepulciano
  • Dia 7: Arezzo e Cortona

Além da Provença, a Toscana também foi um dos pontos altos de nossa viagem pela Europa.

Com certeza, Florença é uma cidade que merece 1 ou 2 dias de visita, especialmente pela variedade de museus. Reserve pelo menos 2 dias de sua viagem na Toscana para ficar hospedado em Florença.

Siena também merece 1 dia exclusivamente para ela (mesmo hospedados em Siena, não tivemos tempo de conhecê-la bem). As demais cidades são pequenas, e você conhecer 2 ou 3 vilarejos em apenas 1 dia de viagem.

Para quem quiser uma viagem ainda mais imersa na Toscana, vale a pena cogitar ficar hospedado em uma das pequenas cidades medievais da região, como no Val d’Orcia.

Nosso último roteiro na Toscana foi de apenas 5 dias, pois já tínhamos visitado Florença em uma viagem anterior. Mas o mínimo ideal seria de 7 a 8 dias na Toscana.

O que fazer na Toscana: Dicas e Roteiro de Viagem

Costa Amalfitana em 3 Dias

O que fazer na Europa: Dicas e Roteiros de Viagem
Positano é uma das cidades da Europa que ficou ainda mais famosa por causa do cinema

Era hora de pegar estrada novamente, e dessa vez bastante estrada. O percurso de Siena até a Costa Amalfitana não era curto. Tangenciamos Roma e Nápoles e chegamos após 5 horas de viagem.

O pior trecho foi mesmo quando chegamos em Maiori (nossa base na Costa Amalfitana). A estrada ficou super estreita e íngreme, atravessando uma montanha com uma vista perfeita para o Monte Vesúvio. No final, deu tudo certo e chegamos em Maiori, finalmente.

No entanto, se tívessemos que voltar para a Costa Amalfitana, escolheríamos Positano ou Capri como bases. Apesar de lugares bem mais caros do que onde ficamos, acredito que a experiência teria sido mais legal e completa nessas bases. Mas para quem quer economizar, é melhor fugir das cidades mais famosas.

  • Dia 1: Chegada na Costa Amalfitana
  • Dia 2: Amalfi + Praiano + Positano + Ravello
  • Dia 3: Capri

Outra decisão polêmica é o uso do carro. É preciso bastante calma e domínio para dirigir por lá. As estradas são muito complicadas e vertiginosas, e os italianos ficam pressionando você para dirigir mais rápido.

No caminho, você encontra vários carros amassados e/ou riscados – eles não se importam muito em danificar os próprios carros. Mas você que está com um carro alugado não vai querer danificar o carro, né?

Por isso, apesar dos ônibus passarem sempre lotados e demorarem mais tempo, acho que é uma opção para quem não domina muito o volante e não quer levar um susto.

Nápoles em 2 Dias

Ficar em Nápoles foi outra dessas soluções econômicas. Os hotéis em Nápoles são mais baratos do que na Costa Amalfitana.

Outra questão é que existe uma maior variedade de horários e barcos para Capri e Ischia a partir de Nápoles. Então optamos por ficar 2 noites em Nápoles e aproveitamos para incluir a cidade de Pompéia.

As ilhas de Ischia e Procida foram incluídas em nosso roteiro por causa de outro filme, “O Talentoso Mr. Ripley”, com Matt Damon e Jude Law. O filme tem locações nessas ilhas, além de Veneza e Roma.

Fui sem muitas expectativas para Nápoles, mas a verdade é que gostamos da cidade e acho que vale a pena incluí-la no roteiro. Mas depois do stress na Costa Amalfitana, foi aqui que devolvemos o carro alugado.

  • Dia 1: Pompéia e Museu Arqueológico Nacional
  • Dia 2: Ischia e Procida

Se você gosta de sítios arqueológicos, além de Pompéia outro sítio considerado imperdível é Herculano. Nós nos conhecemos por falta de tempo, por isso acrescente +1 dia para a cidade de Herculano (Ercolano).

Roma em 5 Dias

O que fazer na Europa: Dicas e Roteiros de Viagem
Roma é a aquela cidade para tirar da wishlist vários pontos turísticos famosos de uma só vez

Roma é um dos destinos mais românticos da Europa. Repleta daqueles cartões postais que você sempre sonhou em conhecer, é uma das cidades mais turísticas do mundo.

Por isso, é preciso um pouco de paciência. A cidade tem a maior quantidade de turistas que você já viu.

Por outro lado, também tem alguns dos lugares mais bonitos da Europa. É impossível não se encantar.

  • Dia 1: Coliseu, Fórum Romano e Palatino
  • Dia 2: Fontana di Trevi, Pantheon, Praça da Espanha e Piazza Navona
  • Dia 3: Vaticano
  • Dia 4: Villa Borghese, Castelo de Santo Angelo e Trastevere
  • Dia 5: Partida de Roma

O que fazer na Europa: Dicas e Roteiro de Viagem

Para alugar o carro, sempre utilizamos os serviços da Rentcars. Fizemos várias pesquisas e os preços da Rentcars foram os mais baratos que encontramos. O site é um consolidador de preços, onde você faz a pesquisa entre diversas companhias e encontra a que se adequa melhor a sua necessidade.

Para reservar pousadas ou hotéis, o Booking.com permite uma boa pesquisa de hotéis. Você pode filtrar por preço, tipo de hospedagem (hotéis, albergues, pousadas), serviços (exemplo: filtrar somente opções com piscina), comodidades (exemplo: filtrar somente quartos com ar condicionado), etc. Na maior parte das vezes, você só paga no próprio destino, diretamente na hospedagem reservada.

Leia mais

share on:
Fabio Pastorello

Fabio Pastorello

Editor do Viagens Cine, fotógrafo e videomaker. Curte cinema e leva a vida e as viagens com toques de romance, drama e aventura. Formado em Letras, ex-bancário e muito mais feliz como blogueiro de viagens.

16 comentários

  1. Uaaau, que post completo, Fabio!
    Desses destinos eu só conheço Portugal, adorei todas as dicas <3
    Venham pra Polônia me visitar, hahaha.

    1. Que ótimo Cynara, andei lendo e relendo, pra tentar cobrir tudo. Mas sempre deve sobrar alguma dúvida, montar roteiro na Europa é muito difícil né. Sempre falo que vou me concentrar em poucos lugares e quando vejo, estou querendo fazer a Europa toda em 15 dias hahaha. Beijos.

  2. Que post mais completo! São viagens para todos os gostos e bolsos. Parabéns pela matéria. Riquíssima em detalhes e muito completa. Tenho certeza que vai ajudar muitos outros viajantes também! Abraços

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.